Política de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do estado da Bahia (Brasil): caminhos para a construção curricular

Resumo

Este artigo é fruto de uma investigação que teve como objetivo traçar o cenário de elaboração da Política de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do estado da Bahia, no sentido de compreender as perspectivas desse documento implantado nas escolas em 2009. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, na qual se utilizou a análise documental. Os resultados mostram que a elaboração contou com participação de diversos autores, porém, alguns mais influentes. A diferença na faixa etária dos alunos foi um dos problemas apontados. Considera-se que a EJA deve ser compreendida como uma modalidade de formação humana contínua e emancipadora, exigindo do professor conhecimentos epistemológicos para consolidar uma percepção de como os jovens e adultos constroem seus espaços de atuação na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Magna Simone de Souza Pinheiro, Secretaria de Educação do Estado da Bahia
Professora da rede estaual de ensino do estado da Bahia
Edinaldo Medeiros Carmo, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Professor da Área de Educação e Ensino do Departamento de Ciências Naturias
Maria Cristina Dantas Pina, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Professora do Departamento de Historia (DH)

Referências

APPLE, M. W. Ideologia e currículo. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BAHIA. Secretaria da Educação. Coordenação de Educação de Jovens e Adultos. Política de EJA da Rede Estadual. Aprendizagem ao Longo da Vida. Salvador: Secretaria da Educação, 2009. Disponível em: http://www.sec.ba.gov.br/jp2011/documentos/Proposta_da_EJA.pdf Acesso em: 26 jul. 2017.

BAHIA. Secretaria de Educação. Proposta Pedagógica do Tempo Juvenil / Ensino Fundamental para estudantes de 15 a 17 anos. Salvador, 2013. Disponível em: http://www.sec.ba.gov.br/jp2011/document/Proposta_da_EJA.pdf Acesso em: 10 jan. 2020.

BALL, S. Education reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Ed. 70, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB Nº: 6/2010. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, junho 2010. Disponível em:

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15074&Itemid=866 Acesso em: 19 nov. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB Nº: 23/2008. Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, outubro 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=5061-parecercne-seb6-2010&Itemid=30192 Acesso em: 11 nov. 2018.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069. Brasília, 13 de julho de 1990.

CAPUCHO, V. Educação de Jovens e Adultos: prática pedagógica e fortalecimento da cidadania. São Paulo: Cortez, 2012.

CARRANO, P. Educação de jovens e adultos e juventude: o desafio de compreender os sentidos da presença dos jovens na escola da “segunda chance”. REVEJ@: Revista de Educação de Jovens e Adultos. 2007. Disponível em: http://www.reveja.com.br/revista/0/artigos/REVEJ@_0_PauloCarrano.pdf Acesso em: 19 nov. 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. 54. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, P. Política e educação. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

GADOTTI, M. Educação de Adultos como direito humano. 4. ed. São Paulo: Editora e Livraria Paulo Freire, 2009.

LIBÂNEO, J. C. Políticas educacionais no Brasil: desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 159, p. 38-82, jan./mar. 2016. Disponível em: http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/3572 Acesso em: 21 nov. 2018.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2011a.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Contribuições de Stephen Ball para o estudo de políticas de currículo. BALL, S. MAINARDES, J. (Orgs.). Políticas Educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011b.

MAINARDES, J. Abordagem do Ciclo de Políticas: uma contribuição para a análise de políticas educacionais. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 94, p. 47-69, jan./abr. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a03v27n94.pdf Acesso em: 17 set. 2018.

MINAYO, M. C. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. ed. Porto Alegre; Artmed, 2000.

SAVIANI, D. Sistema Nacional de Educação e Plano Nacional de Educação: significado, controvérsias e perspectivas. Campinas: Autores Associados, 2014.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Pinheiro, M. S. de S., Carmo, E. M., & Pina, M. C. D. (2020). Política de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do estado da Bahia (Brasil): caminhos para a construção curricular. Horizontes, 38(1), e020041. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.1024
Seção
Seção Temática: Docência(s) na educação de pessoas jovens, adultas e idosas