Formando professoras de ciências para o diálogo intercultural na pesquisa e no ensino a partir de um trabalho colaborativo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i1.437

Resumo

O objetivo do estudo qualitativo foi mapear a possibilidade de formação de duas professoras de ciências para o diálogo intercultural a partir de um trabalho colaborativo envolvendo intervenções pedagógicas em salas de biologia de uma escola do estado da Bahia. A metodologia incluiu vídeo-gravação, transcrição, mapas de eventos, seleção de episódios e análise de conteúdo. Os resultados indicam tentativas, mas não abordagens dialógicas durante as intervenções. O estudo permitiu repensar aspectos voltados para as interações dialógicas que ocorrem durante os processos de ensino e aprendizagem e na pesquisa científica com relação à formação inicial e continuada dos professores de ciências. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geilsa Costa Santos Baptista, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Licenciada em Biologia, mestre e doutora em Ensino, Filofofia e História das Ciências (UFBA), Professora Adjunto no Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e Hitória das Ciências (UFBA-UEFS).

Downloads

Publicado

2017-05-01

Como Citar

Baptista, G. C. S., & Gomes e Silva, D. (2017). Formando professoras de ciências para o diálogo intercultural na pesquisa e no ensino a partir de um trabalho colaborativo. Horizontes, 35(1), 99–112. https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i1.437