O texto visual no livro didático de língua portuguesa: reflexões e desafios em multimodalidade

Rafael Seixas de Amoêdo, Neiva Maria machado Soares

Resumo


Desde a formulação dos PCN (BRASIL, 1998) até a BNCC (BRASIL, 2016), o ensino de línguas está em constante transformação. A linguagem até então apresentada apenas na modalidade verbal, passa a agregar multissemioses, como o visual, as cores, o design, o som, entre outras, produzindo-se assim textos multimodais. Este trabalho visa analisar como o texto visual está sendo empregado em livros didáticos da coletânea Português Linguagens (CEREJA e MAGALHÃES, 2015), com ênfase na edição do 6º ano, se em natureza meramente ilustrativa ou se estimula ao letramento visual/ multimodal, sob a ótica da Teoria Semiótica Social da Multimodalidade e a Gramática do Design Visual, de Kress e van Leeuwen (1996). A análise de cunho quanti-qualitativo revelou o uso de ilustrações, tendo as imagens função meramente acessória na arquitetura textual-discursiva. Verificando que o livro didático, uma importante ferramenta nas aulas de Língua Portuguesa, pode ser instrumento propício às práticas de multiletramento, mas que na estrutura atual ainda necessita de modificações quanto ao tratamento das imagens, pois estas traduzem valores, conduzem olhares e filtram óticas particulares de perceber o mundo. Utilizá-las apenas de modo subserviente, deturpam além de critérios de coesão e coerência, as perspectivas de multimodalidade, letramento visual e multiletramentos, importantes no contexto escolar contemporâneo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.852

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia