Práticas curriculares matemáticas em uma escola da zona rural do Ceará: padronizações, relações de cumplicidade e resistências no ensino de pessoas jovens, adultas e idosas

Resumo

Este artigo discute sobre padronização, relações de cumplicidade e movimentos de resistências percebidas nas práticas curriculares matemáticas de docentes que lecionam para jovens, adultos e idosos, em uma escola pública municipal da zona rural do Ceará. Para isso, foram utilizadas análises das narrativas de duas professoras e de acompanhamentos realizados em suas turmas, durante o primeiro semestre de 2018. Os resultados sinalizam que as docentes constroem estratégias didáticas direcionando as aulas e conteúdos matemáticos para a valorização dos saberes dos estudantes, em detrimento das padronizações propostas pelo sistema municipal de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Josimar Ricardo Xavier, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Educação pela Universidade Federal Fluminense, UFF. Tem interesse em pesquisas nas áreas: Educação Matemática, Etnomatemática, Currículo e Práticas Pedagógicas na modalidade Educação de Jovens e Adultos, EJA. Integra o Grupo de Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos (GPEJA), do Instituto de Educação de Angra dos Reis IEAR/UFF e o Grupo de Etnomatemática da UFF (GETUFF

Adriano Vargas Freitas, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Mestre em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis, Especialista em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Graduado em Matemática. Professor do Programa de Pós Graduação em Educação da UFF. Professor do Instituto de Educação de Angra dos Reis. Desenvolve pesquisas relacionadas à Educação Matemática, Formação de Professores e Currículos direcionados a Educação de Jovens e Adultos.

 

Referências

BRASIL. Parecer nº 11 de 10 de maio de 2000. Aprova Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica. Brasília, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/PCB11_2000.pdf. Acesso em 14 de janeiro de 2020.

BIESTA, Gert. Boa educação na era da mensuração. Tradução de Teresa Dia Carneiro. Cadernos de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas. Brasília. v. 42, n.147, set./dez. 2012, p. 808- 825.

DELORY-MOMBERGER, C. Fundamentos epistemológicos da pesquisa biográfica em educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, 2011, p. 333-346.

FREITAS, Adriano Vargas. Educação Matemática e Educação de Jovens e Adultos: estado da arte de publicações em periódicos (2000 a 2010). 2013. 360 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontífica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

GIL, Antônio Carlos.Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOODSON, Ivor F. Currículo, narrativa e o futuro social. trad. Eurize Caldas Pessanha e Marta Banducci Rahe. Revista Bras. Educ. v. 12. n. 35, maio/ ago. 2007. p. 241- 252.

GOODSON, Ivor F. Narrativas em educação: a vida e a voz dos professores. Porto, Portugal: Porto Editora, 2015.

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Vencendo os desafios da aprendizagem nas séries iniciais: a experiência de Sobral/Ce. Brasília, 2005. v. 1. Série Projeto Boas Práticas na Educação.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

SACRISTÁN, José G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Tradução de Ernani F. da F. Rosa. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOBRAL. Plano Estratégico da Educação de Jovens e Adultos - PEEJA. Secretaria Municipal de Educação. 2005.

SOBRAL. Proposta Curricular da EJA. Escola José Arimateia Alves. 2017.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Xavier, F. J. R., & Freitas, A. V. (2020). Práticas curriculares matemáticas em uma escola da zona rural do Ceará: padronizações, relações de cumplicidade e resistências no ensino de pessoas jovens, adultas e idosas. Horizontes, 38(1), e020043. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.944
Seção
Seção Temática: Docência(s) na educação de pessoas jovens, adultas e idosas