Práxis pedagógica e produção de sentidos à atividade de estudo para estudantes do PROEJA

Resumo

Neste artigo apresentam-se os resultados de uma pesquisa sobre o sentido que os estudantes atribuem à atividade de estudo, a partir da experiência de escolarização em um curso PROEJA. Toma-se como foco central o debate da práxis pedagógica, compreendida como a unidade dialética conteúdo e forma do ensino (VIEIRA PINTO, 1989). Os resultados apontam para uma dicotomia na apropriação dos conhecimentos técnicos e teóricos. E embora algumas contradições da escola indiquem possibilidades de superação dessa dicotomia, pode-se avançar na direção de uma educação emancipatória e não dual da classe trabalhadora, na medida em que a escola assumir o compromisso político-pedagógico de situar o trabalho e a formação para o trabalho no sistema capitalista de produção, evidenciando assim suas contradições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Hermínia Lage Fernandes Laffin, Universidade Federal de Santa Catarina
Possui graduação em Pedagogia, Habilitação em Orientação Educacional e Magistério pela Associação Catarinense de Ensino (1985), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Atualmente é professor adjunto i da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Didática, atuando principalmente nos seguintes temas: educação de jovens e adultos, formação de professores, educação, escolarização e práticas escolares.
Ivanir Ribeiro, Instituto Federal de Santa Catarina- Florianópolis/SC
Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, na Linha de Pesquisa: Ensino e Formação de Educadores, mestre em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina e graduada e Licenciada em Psicologia pela Universidade do Vale do Itajaí. Psicóloga educacional do Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC, campus Florianópolis-Continente. Membro integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos – EPEJA e do Núcleo de Estudos em Educação Profissional e Tecnológica e avaliadora da Revista EJA em Debate. Tem experiência na área de educação, com ênfase em processos de ensino-aprendizagem, formação de educadores e educação de jovens e adultos.

Referências

ABRANTES, Ângelo Antônio. Parecer de qualificação. São Paulo: UNESP, 2017.

ASBAHR, Flavia da Silva Ferreira. “Por que aprender isso professora?” Sentido pessoal e atividade de estudo na Psicologia Histórico-Cultural. 2011, 220f. Tese (Doutorado em Psicologia). Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, 2011.

BRASIL. Documento Base do PROEJA: Educação Profissional Técnica de Nível Médio/Ensino Médio. Brasília – DF: Ministério da Educação – Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, 2007.

BERNARDES, Maria Eliza M.; ASBAHR, Flávia Ferreira da Silva. Atividade pedagógica e o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 2, p. 315-342, nov. 2007. ISSN 2175-795X. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/1791>. Acesso em: 26 fev. 2020.

CARVALHO, Maria Cláudia da Veiga Soares; LUZ, Madel Therezinha; PRADO, Shirley Donizete. Comer, alimentar e nutrir: categorias analíticas instrumentais no campo da pesquisa científica. Revista ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, pp. 155-163, jan. 2011.

COAN, Marival. Educação para o empreendedorismo: implicações epistemológicas, políticas e práticas. 2011, 540F. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudo Socioeconômico. Boletim. Emprego em Pauta: Trabalho por conta própria cresce na crise, mas em piores condições, número 8, julho de 2018.

DUARTE, Newton. Os conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria histórico-crítica do currículo. Campinas – SP: Autores Associados, 2016.

DUARTE, Newton; SAVIANI, Demerval. A formação humana na perspectiva histórico-ontológica. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 15, n. 45, p. 422-433, set./dez. 2010.

GELSLEICHTER, Meimilany. As trajetórias profissionais dos egressos do PROEJA: o IFSC Campus Florianópolis-Continente em análise. 2017, 196 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e da Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

IFSC – INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA. Curso Técnico em Gastronomia Integrado ao Ensino Médio na Modalidade EJA. Florianópolis-Continente, 2013.

LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes. A constituição da Docência entre professores de escolarização inicial de jovens e adultos. Ijuí: Unijuí, 2013.

LEONTIEV, Alexis N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII, L.S; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2012.

MARTINS, Lígia Márcia; CARVALHO, Bruna. A atividade humana como unidade afetivo-cognitiva: um enfoque histórico-cultural. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 21, n. 4, p. 699-710, out./dez. 2016. In: MARTINS, Ligia Márcia; ABRANTES, Angelo Antônio; FACCI, Marilda Gonçalves Dias. Periodização Histórico-Cultural do Desenvolvimento Psíquico: do nascimento à velhice. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

PARANHOS, Michelle. Organismos Internacionais e a Política de Educação Profissional Brasileira. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; ramos, Marise (coordenadores e comissão científica). Anais IV Seminário de Pesquisa: A crise da sociabilidade do capital e a produção do conhecimento. Rio de Janeiro: UFF, UERJ e EPJJV, 2013.

RAMOS, Marise Nogueira. Concepção de ensino médio integrado. Versão ampliada do texto intitulado “Concepção de ensino médio integrado à educação profissional”. Seminário sobre ensino médio. Superintendência de Ensino Médio da Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Norte – Natal e Mossoró, 2007. Disponível em: <https://tecnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integrado-marise-ramos1.pdf>. Acesso em: 01/08/2019.

RIBEIRO, Ivanir, LAFFIN, Maria Hermínia Lage Fernandes; AGUIAR, Paula Alves de. Reflexões sobre formação de formadores para o PROEJA: o caso do Instituto Federal de Santa Catarina. Revista Tempos e Espaços em Educação. Sergipe, vol. 12, n. 28, p. 41-60, jan/mar. 2019.

RUMMERT, Sônia Maria. Trabalho, educação e experiência na formação de jovens e adultos trabalhadores. In: ALVES, Natália; RUMMERT, Sônia; MARQUES, Marcelo (orgs.). Educação e Formação de jovens e adultos em Portugal e no Brasil: políticas, práticas e atores. Lisboa – Portugal: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2014.

VIEIRA PINTO, Álvaro. Sete lições sobre educação de adultos. 6ª ed., São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Laffin, M. H. L. F., & Ribeiro, I. (2020). Práxis pedagógica e produção de sentidos à atividade de estudo para estudantes do PROEJA. Horizontes, 38(1), e020039. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.961
Seção
Seção Temática: Docência(s) na educação de pessoas jovens, adultas e idosas