Reflexões sobre a prática docente o desafio da qualidade no PROEJA

  • Helen Wanderley do Prado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)/ Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRJ) https://orcid.org/0000-0001-9123-7975
  • Jupter Martins de Abreu Junior Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)/ Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) https://orcid.org/0000-0003-4056-345X

Resumo

O PROEJA é um programa que visa a oferta da educação profissional integrada à educação básica na modalidade EJA, sendo oferecido, principalmente, em instituições federais, que têm o seu histórico marcado pelo discurso da excelência. Inserido neste contexto, este trabalho pretende, por meio de revisão bibliográfica e análise documental, refletir sobre a prática docente e o desafio da qualidade no PROEJA. O referencial teórico abarca autores que se dedicam à modalidade EJA e ao Programa, como Paiva, Machado, Ventura e Moll, entre outros. Constatou-se que há entraves que penetram no processo educativo e dificultam a construção de uma prática educativa emancipatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Helen Wanderley do Prado, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)/ Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRJ)
Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Educação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Atua como Técnica em Assuntos Educacionais no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - IFRJ,  na Coordenação Técnico-Pedagógica. É membro do grupo de pesquisa: "Juventude: políticas públicas, processos sociais e educação".
Jupter Martins de Abreu Junior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)/ Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)
Pós-doutorando em Educação (ProPEd/UERJ), com uma parte do estágio realizada na Faculdade de Ciências da Educação da Universidade de Sevilha (Espanha). Doutor em Educação (ProPEd/UERJ, Mestre em Música (UNIRIO), Especialista em História do Brasil Pós-1930 (UFF), Bacharel em Música (UNIRIO) e Licenciado em Educação Artística (UNIRIO). Atuou como professor nas redes estadual e municipal do Rio de Janeiro, entre 2006 e 2008, e Coordenador Pedagógico na Secretaria de Educação (SEMED) de Mesquita/RJ, entre 2010 e 2013. Desde 2008 é docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ) - Campus Duque de Caxias, onde foi Diretor de Ensino entre 2012 e 2014.

Referências

ANDRADE, E. R. A Educação de Jovens e Adultos e os jovens do “último turno”: produzindo outsiders. 2004. 220 p. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Documento Base. Programa de Integração da Educação Profissional Técnica de Nível Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Brasília: 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Documento Base. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos - PROEJA. Educação Profissional Técnica de Nível Médio / Ensino Médio. Documento Base. Brasília: 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos - PROEJA. Educação Profissional Técnica de Nível Médio / Ensino Médio. Documento Base. Brasília: 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Documento Final CONAE 2010: Construindo o Sistema Nacional Articulado de Educação. Brasília, MEC, 2010.

ESTEBAN, M. T. O que sabe quem erra? Petrópolis, Rio de Janeiro: De Petrus et Alii, 2013.

GIOVANETTI, M. A. G. de C. A formação de educadores de EJA: o legado da educação popular. In: SOARES, Leôncio; GIOVANETTE, Maria Amélia Gomes de Castro; GOMES, Nilma Lino. Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.p.243-254.

MACHADO, M. M. A educação de jovens e adultos no Brasil pós-Lei 9.394/96: a possibilidade de constituir-se como política pública. In: MACHADO, Maria Margarida (org). Brasilia: INEP, nov. 2009. p.17-39.

MACHADO, M. M. A pesquisa como foco na educação de trabalhadores a partir do PROEJA. In: MACHADO, Maria Margarida e RODRIGUES, Maria Emília de Castro. Educação dos Trabalhadores: projetos e políticas em disputa. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2011, p. 19-34.

MOLL, J. PROEJA e democratização da educação básica. Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo: desafios tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

PAIVA. J. Qualidade na educação de jovens e adultos: traduções em disputa na prática de redes públicas no Rio de Janeiro. Cadernos de Pesquisa em Educação - PPGE/UFES Vitória, ES. a. 10, v. 19, n. 37, p. 79-108, jan./jun. 2013.

VENTURA, J. A trajetória histórica da educação de jovens e adultos trabalhadores. In: TIRIBA, Lia e CIAVATTA, Maria (orgs.). Trabalho e Educação de Jovens e Adultos. Brasília: Liber Livro e Editora UFF, 2011, p. 57-93.

SANTOS, B. de A.; MARTINS, F. I. de B. B.; BARACHO, M. das G. Diálogos PROEJA: uma experiência no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. In: MOURA, D.H.; BARACHO, M. das G. PROEJA no IFRN: Práticas Pedagógicas e Formação Docente. Natal: IFRN Editora, 2010.

SHIROMA, E. O.; LIMA FILHO, D. L. Trabalho docente na Educação Profissional Tecnológica e no PROEJA. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v.32, p. 725-743, 2011. Disponível em: www.cedes.unicamp.br Acesso em: 17 jan. 2020.

Publicado
2020-12-30
Como Citar
Prado, H. W. do, & Abreu Junior, J. M. de. (2020). Reflexões sobre a prática docente o desafio da qualidade no PROEJA. Horizontes, 38(1), e020063. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.962
Seção
Seção temática: Formação, docência e práticas na educação de pessoas adultas