Narrativas de vida sobre a escolarização dos idosos: contribuições na formação inicial dos professores

Resumo

Neste relato de experiência, analisamos duas narrativas de vida de idosos, produzidas por estudantes de Pedagogia, da Universidade Federal de Viçosa, em 2017, na disciplina Educação na Terceira Idade. Para tanto, nos referenciamos em Daniel Bertaux, que utiliza o recurso da entrevista como estratégia de construção de histórias de vida. Nosso objetivo foi compreender os caminhos trilhados pelos sujeitos entrevistados no processo de escolarização e as contingências que os impediram de frequentar a escola no decorrer da vida. Dentre os obstáculos identificados, destacamos aqueles relativos aos estereótipos de gênero, que se materializam nas escolhas profissionais, reforçando a desigualdade no campo do trabalho e nas instâncias formativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Bethania Medeiros Geremias, Universidade Federal de Viçosa/Departamento de Educação
Pedagoga. Doutora em Educação Científica e Tecnológica. Professora do Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa. Área de atuação: Didática e Metodologias de Ensino. Vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação/UFV
Thayná Luana Borges, Universidade Federal de Viçosa/Pós-Graduação em Educação
Pedagoga. Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa.

Referências

ALMEIDA, T.; LOURENÇO, M.L. Envelhecimento, Amor e Sexualidade: utopia ou realidade? Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 101-113, 2007.

BERTAUX, Daniel. Narrativas de vida: a pesquisa e seus métodos. São Paulo: Paulus, 2010.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembrança de velhos. São Paulo: Editora

da Universidade de São Paulo, 1987.

BLAUDT, V.L.; RANGEL, M. Discriminação de gênero na educação: a história edificando as desigualdades. Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, MG, v.31, n.1, p.182-2000, 2018.

BRASIL. Portaria nº 1.395, de 10 de dezembro de 1999. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 13 dez. 1999. p. 1-24.

BRASIL. Política Nacional do Idoso. Estatuto do idoso: lei federal nº 10.741, de 01 de outubro de 2003. 2.ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006.

BUFALO, K.S. Aprender na Terceira Idade: Educação Permanente e Velhice Bem-Sucedida como Promoção da Saúde Mental do Idoso. Revista Kairós : Gerontologia, [S.l.], v. 16, n. 2, p. 195-212, jun. 2013. ISSN 2176-901X. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/18533. Acesso em: 30 ago. 2019.

GALLETI, T. A.I. A proteção social ao idoso dependente na seguridade social brasileira. 2014. Dissertação (Mestrado em Direito Político e Econômico) – Universidade Mackenzie, São Paulo, 2014. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/1134. Acesso em: 30 ago. 2019.

JOVCHELOVITCH, S.; BAUER, M. W. Entrevista narrativa. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa Qualitativa com Texto, Imagem e Som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, p. 90-113, 2002.

LAGO, M. Ai que saudades da Amélia. 1942. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/mario-lago/ai-que-saudades-da-amelia.html. Acesso em: 07 jan. 2020.

NERI, A. L.; YASSUDA, M. S. (Orgs.). Velhice bem-sucedida: aspectos afetivos e cognitivos. Campinas: Papirus, 2004.

STUCCHI, D. Os programas de preparação a aposentadoria e o remapeamento do curso da vida do trabalhador. 1994. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciencias Humanas, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280591. Acesso em: 19 jul. 2018.

ZIMERMAN, G. I. Velhice: aspectos biopsicossociais. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

Publicado
2020-12-30
Como Citar
Geremias, B. M., & Borges, T. L. (2020). Narrativas de vida sobre a escolarização dos idosos: contribuições na formação inicial dos professores. Horizontes, 38(1), e020064. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.975
Seção
Seção temática: Formação, docência e práticas na educação de pessoas adultas