Nicho de Aprendizagem Matemática: uma experiência de ensinar e aprender matemática em convivência

Resumo

Apresentamos resultados de uma pesquisa que objetivou desencadear a emergência de dinâmicas de cocriação de atividades que pudessem favorecer a aprendizagem matemática, à luz de alguns conceitos da teoria da Biologia do Conhecer. Por meio desta “experiência de convivência”, envolvendo a professora e os alunos do 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola municipal da Serra Gaúcha, foram vivenciadas atividades relacionadas à exploração do Minecraft. O contexto no qual se desenvolveu essa experiência educativa foi denominado Nicho de Aprendizagem Matemática. Os resultados revelam pistas, possibilidades que indicam que quando os processos de ensinar e aprender estão apoiados em dinâmicas que favorecem a cocriação pedagógica, a aprendizagem acontece naturalmente e torna-se prazerosa.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Graziela Rossetto Giron, Universidade de Caxias do Sul (UCS)
Doutora em Educação pela Universidade de Caxias do Sul - UCS (2019). Mestre em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS (2007). Especialista em Neuropsicopedagogia Clínica e Institucional - FATECIE/INEPE (2014) e Formação para Educação à Distância - UCS (2005). Licenciada em Ciências (1987) e Pedagogia (2004) pela Universidade de Caxias do Sul- UCS. Atualmente é professora da Rede Municipal de Ensino de Caxias do Sul/ RS. Tem experiência na educação básica e superior, com ênfase em formação de professores, atuando principalmente nos seguintes temas: processos de ensino e aprendizagem, pensamento sistêmico, gestão escolar e políticas educacionais.
Eliana Maria do Sacramento Soares, Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Bacharel, Licenciada e Mestre em Matemática pela Universidade Estadual de Campinas e doutora em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade Federal de São Carlos. Pesquisadora e professora do Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia e membro do corpo permanente do Programa de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado em Educação, da Universidade de Caxias do Sul. Tem interesse em pesquisas relacionados à: formação docente no contexto da cultura digital; tecnologia e cognição; tecnologia digital e processos educativos; educação, cultura de paz e espiritualidade.

Referências

BALACHEFF, N. Entornos informaticos para la enseñanza de las matemáticas: complejidad didactica y expectativas. 2000. Disponível em: <http://www.cvrecursosdidacticos.com/download_file.php?file=1288115856_U2_Balacheff.pdf>. Acesso em: 24 Maio 2016.

COSTA, L. B. da. Cartografia: uma outra forma de pesquisar. Revista Digital do LAV - Santa Maria - vol. 7, n.2, p. 66-77, maio/ago. 2014. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/revislav/article/view/15111>. Acesso em: 19 set. 2017.

DEVLIN, K. J. O gene da matemática. Tradução: Sérgio Moraes Rego. Rio de Janeiro: Record, 2004.

DINIZ, M. I. Resolução de problemas e comunicação. In: SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez (orgs.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001.

FERNANDES, G. W. R. Práticas pedagógicas mediatizadas: delineando caminhos para a formação de professores de física na modalidade à distância. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2007. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/90430/245684.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 06 mar. 2017.

ITZCOVICH, H. Iniciação ao estudo didático da geometria: das construções às demonstrações. São Paulo: Anglo, 2012.

MATURANA, H. R. Uma nova concepção de aprendizagem. Dois pontos, v. 2, n. 15, 1993. Disponível em: <http://www.ead-tec.furg.br/images/textos/uma_nova_concepcao_aprendizagem.pdf>. Acesso em: 06 jun. 2017.

MATURANA, H. R. Cognição, ciência e vida cotidiana. Organização e tradução: Cristina Magro, Victor Paredes. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

MATURANA, Humberto Romesín. Ontologia da realidade. Organização: Cristina Magro, Mirian Garciano, Nelson Vaz. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001a.

MATURANA, H. R. Emoções e linguagem na educação e na política. Tradução: José Fernando Campos Fortes. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

MATURANA, H. et al. Matriz ética do habitar humano. 2009. Disponível em: <http://escoladeredes.net/group/bibliotecahumbertomaturana>. Acesso em: 09 Maio 2017.

MATURANA, H. R.; DÁVILA, X. Y. El arbol del vivir. Santiago: MVP Editores, 2015.

MATURANA, H. R.; VARELA, F. J. G. De máquinas e seres vivos: autopoiese - a organização do vivo. Tradução: Juan Acuña Llorens. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MATURANA, H. R.; REZEPKA, S. N. de. Formação humana e capacitação. Tradução: Jaime A. Clasen. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

MURTA, C. A. R.; VALADARES, M. G. P. de F.; MORAES FILHO, W. B. Possibilidades pedagógicas do Minecraft: incorporando jogos comerciais na educação. XII EVIDOSOL e IX CILTEC – Online. Junho de 2015. Disponível em: <http://evidosol.textolivre.org>. Acesso em: 26 dez. 2017.

PELLANDA, N. M. C. Maturana & a Educação. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2009. (Coleção Pensadores & Educação)

PONTE, J. P. da; BROCARDO, J.; OLIVEIRA, H. Investigações matemáticas na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

Publicado
2020-11-15
Como Citar
Giron, G. R., & Sacramento Soares, E. M. do. (2020). Nicho de Aprendizagem Matemática: uma experiência de ensinar e aprender matemática em convivência. Horizontes, 38(1), e020053. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.1014