Estudo do verbo em livros didáticos: excesso permanente de metalinguagens para crianças

Resumo

Investigamos uma proposta de trabalho pedagógico com conteúdo gramatical em uma coleção de livros didáticos para os anos iniciais do Ensino Fundamental, no tocante à classe morfológica dos verbos. Investigamos o manual do professor da coleção selecionada, além dos cinco volumes didáticos destinados aos alunos. Os resultados revelaram que três livros apresentam um trabalho pedagógico sistematizado sobre formas verbais e informado por atividades metalinguísticas. Os verbos são focalizados em textos completos ou, inclusive, em excertos selecionados. As noções de gêneros textuais não influenciaram diretamente o enfoque gramatical, diferentemente do recomendado na literatura científica de referência e em diretrizes curriculares oficiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wagner Rodrigues Silva, Universidade Federal do Tocantins (UFT) Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)
Possui Licenciatura Plena em Letras (Língua Portuguesa e Inglesa) pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mestrado, doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), e pós-doutorado em Linguística Aplicada pela The Hong Kong Polytechnic University (PolyU) e pela Aswan University (Egito). Durante o curso de graduação, foi bolsista de Iniciação Científica (CNPq/PIBIC) por três anos. É professor Associado III da Universidade Federal do Tocantins - UFT, docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura (Mestrado e Doutorado Acadêmico, no Câmpus de Araguaína, e do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGLetras), no Câmpus de Porto Nacional. Foi docente do Mestrado Profissional em Letras (ProfLetras), na Universidade Federal do Tocantins (UFT). Leciona disciplinas na área de linguagem na Licenciatura em Pedagogia, no Câmpus de Palmas. É bolsista de produtividade do CNPq (PQ 1D). É representante regional (Regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil) da comissão gestora da Associação de Linguística Sistêmico-Funcional da América Latina (2017-2020). Tem experiência na área de Linguística Aplicada, atuando principalmente nos Estudos do Letramento, compreendendo os seguintes conteúdos: ensino de gramática, gêneros textuais, alfabetização, material didático,currículo, práticas de escrita, práticas de leitura, formação de professores e educação científica. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Letras: Ensino de Língua e Literatura (Mestrado e Doutorado) durante quatro anos. Foi membro da Diretoria (2016-2017) e do Conselho Consultivo (2018-2019) da Associação de Linguística Aplicada do Brasil - ALAB. É membro da Associação Brasileira de Linguística Aplicada (ALAB), da Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN) e do Grupo de Trabalho Formação de Educadores na Linguística Aplicada (ANPOLL).
Ayne Almeida Andrade, Universidade Federal do Tocantins (UFT)
Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), professora do Ensino Fundamental I, no Estado do Tocantins.
Dalve Oliveira Batista-Santos, Universidade Federal do Tocantins (UFT)
Doutora e mestra em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professora Adjunta na Universidade Federal do Tocantins - UFT, atuando na graduação em Letras - Língua Portuguesa e Respectivas Literaturas e no Programa de Mestrado em Letras (PPGLetras), no Câmpus de Porto Nacional. É membro do grupo de pesquisa Práticas de Linguagens - PLES, nas linhas de pesquisa Escrita Acadêmica na Formação do Professor e Práticas de linguagem: leitura; escrita; análise linguística e, no Grupo de Estudos da Indeterminação e da Metáfora (GEIM), na linha de pesquisa Linguagem e Educação da PUC/SP. Licenciada em Letras - Língua Portuguesa e Respectivas Literaturas. Especialista em Ensino da Língua Portuguesa e Literaturas. Atua nas seguintes áreas: 1) Gêneros textuais e ensino de língua materna na perspectiva do ISD; 2) Práticas de letramento e ensino; 3) Letramento Acadêmico: Leitura e escrita na Universidade; 4) Formação do professor de Língua Portuguesa.

Referências

APARÍCIO, A. S. M. Modos individuais e coletivos de produzir a inovação no ensino de gramática em sala de aula. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 10, n. 4, p. 883-907, 2010.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BARROS, C. G. P. Capacidades de leitura de textos multimodais. Polifonia, Cuiabá, n. 19. p. 161-186. 2009.

BATISTA-SANTOS, D. O; TELES, E. A. Concepções de gramática no livro didático: interfaces com o ensino de língua materna. Interfaces. Guarapuava, v. 9 n. 4. 2018. p. 108-123.

BRASIL, Guia de livros didáticos: PNLD 2016: Alfabetização e Letramento e Língua Portuguesa: ensino fundamental anos iniciais. – Brasília: Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica, 2015.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 2018.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2000.

BECHARA. Gramática escolar da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010.

CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Português: linguagens (1ª ao 5ª ano). 6. ed. São Paulo: Atual Editora, 2017a.

CEREJA, W. R.; MAGALHÃES, T. C. Português: linguagens – Manual do professor (1ª ao 5ª ano). 6. ed. São Paulo: Atual Editora, 2017b.

DIONISIO, A. P.; BEZERRA, M. A. (Org.). O livro didático de português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

FRANCHI, C. Criatividade e gramática. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, n. 9, p. 5-45, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

HALLIDAY, M. A. K.; MATTHIESSEN, C. M. I. M. Halliday’s Introduction to Functional Grammar. 4th. Ed. New York: Routledge, 2014.

LIBÂNEO, J. C. A formação de professores no curso de Pedagogia e o lugar destinado aos conteúdos do Ensino Fundamental: que falta faz o conhecimento do conteúdo a ser ensinado às crianças? In: SILVESTRE, M. A.; PINTO, U. A. (Org.). Curso de Pedagogia: avanços e limites após as Diretrizes Curriculares Nacionais. São Paulo: Cortez, 2017, p. 49-78.

MAGALHÃES, T. G.; LACERDA, A. P. O. Concepções e práticas de oralidade na escola básica na perspectiva dos docentes. Horizontes, Itatiba, v. 37, p. 1-23, 2019.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, analise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola editorial, 2008.

MENDONÇA, M. R. S. Análise linguística: refletindo sobre o que há de especial nos gêneros. In: SANTOS, C.F.; MENDOÇA, M.; CAVALCANTE, M. C. B. Diversidade textual: os gêneros na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 73-88.

PERNAMBUCO, J.; FIGUEIREDO, M. F. Contribuições bakhtinianas para o ensino da gramática. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 2, p. 682-696, 2011.

SANTOS, C. F.; MENDONÇA, M.; CAVALCANTE, M. C. B. O trabalho com gêneros por meio de projetos. In: SANTOS, C.F.; MENDOÇA, M.; CAVALCANTE, M. C. B. (Orgs.). Diversidade textual: os gêneros na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 115-132.

SOUZA, E. M. F.; LADEIA, R. T. L. R. O livro didático de língua portuguesa: um destaque discursivo para o ensino de gramática. Percursos Linguísticos, Vitória, v. 8, n. 18, p. 58-74, 2018.

SOUZA, José W. A. Por uma sistemática didática: estudos semânticos voltados ao ensino de Língua Portuguesa no Ensino Médio. 2017. 196 f. Monografia (Especialização) - Curso de Linguística, Universidade Federal da Paraíba, Paraíba, 2017.

SIGILIANO, N. S.; SILVA, W. R. Diagnóstico de propostas de análise linguística em livros didáticos aprovados em programa oficial. In: MAGALHÃES, T.; GARCIA-REIS, A.; FERREIRA, H. (Orgs.). Concepção discursiva de linguagem: ensino e formação docente. Campinas: Pontes Editores, 2017, p. 19-40.

SILVA, W. R. Estudo de gramática no texto: demandas para o ensino e a formação do professor de língua materna. Maringá: Eduem, 2011.

SILVA, W. R. Letramento e fracasso escolar: o ensino da língua materna. Manaus: UEA Edições, 2012.

SILVA, W. R.; LIMA, P. S.; MOREIRA, T. M. (Org.). Gêneros na prática pedagógica: diálogos entre escolas e universidades. Campinas: Pontes Editores, 2016.

SILVA, W. R.; MELO, L. C. Teoria acadêmica e prática docente em referencial curricular. In: SILVA W. R.; MELO, L. C. (Org.). Pesquisa & ensino de língua materna e literatura: diálogos entre formador e professor. Campinas: Mercado de Letras, 2009, p. 37-62.

TRAVAGLIA, L. C. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática. 14. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

TRAVAGLIA, L. C. Gramática: ensino plural. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

Publicado
2021-04-24
Como Citar
Silva, W. R., Andrade, A. A., & Batista-Santos, D. O. (2021). Estudo do verbo em livros didáticos: excesso permanente de metalinguagens para crianças. Horizontes, 39(1), e021013. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.1028