Panorama da avaliação da Educação de Jovens e Adultos sob perspectivas da Educação Matemática

Autores

  • Adriano Vargas Freitas Universidade Federal Fluminense
  • Célia Maria Carolino Pires Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i1.107

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos, Educação Matemática, Processos avaliativos.

Resumo

O artigo apresenta recorte de pesquisa desenvolvida no modelo de estado da arte, cujo foco envolva processos avaliativos globais na Educação de Jovens e Adultos sob perspectivas da Educação Matemática. A produção foi motivada pela verificação da necessidade de pesquisas que ajudem a melhorar o processo de ensino e aprendizagem da matemática dos alunos da EJA, e da percepção da importância de mapearmos produções existentes que orientem a comunidade de educadores matemáticos em suas investigações sobre o tema. Para isto, optamos por trabalhar com produções publicadas no período de 2000 a 2011 em periódicos que façam parte da Listagem Qualis (CAPES-MEC) na área de Ensino de Ciências e Matemática sob a metodologia de Análise Textual Discursiva. Dentre os dados analisados, destaca-se a verificação de que os desempenhos do aluno de EJA em leitura e matemática estão fortemente correlacionados, e a defesa do desenvolvimento de formas avaliativas mais eficientes, que promovam além da construção de indicadores de alfabetização/letramento, a geração de informações que possam fomentar o debate público sobre as temáticas envolvidas e contribuir para a formulação de novas políticas públicas educacionais, assim como a revisão das políticas já postas em prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Vargas Freitas, Universidade Federal Fluminense

Professor da UFF, Doutor em Educação Matemática (PUC/SP), Mestre em Educação (UCP), Especialista em Ensino de Matemática (UFRJ).

Célia Maria Carolino Pires, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professora do Programa de Estudos Pós Graduados da PUC/SP, Doutora em Educação pela USP.

Referências

BARREYRO, G. B. O “Programa Alfabetização Solidária”: terceirização no contexto da Reforma do Estado. Educar em Revista, n38, 2010.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei 9.394. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 1996.

BRASIL. Educação para jovens e adultos: ensino fundamental: proposta curricular - 1º segmento. São Paulo: Ação Educativa; Brasília: MEC, 2001.

BRASIL. Proposta Curricular para a educação de jovens e adultos : segundo segmento do ensino fundamental: 5a a 8a série : introdução. Vol.1. Secretaria de Educação Fundamental, Brasília: MEC, 2002(a).

BRASIL. Proposta Curricular para a educação de jovens e adultos : segundo segmento do ensino fundamental: 5a a 8a série. Matemática, Ciências, Arte e Educação Física. Vol.3. Secretaria de Educação Fundamental, Brasília: MEC, 2002.(b).

DI PIERRO, M. C. Descentralização, focalização e parceria: uma análise das tendências nas políticas públicas de educação de jovens e adultos. Educação e Pesquisa, v27, n2, 2001.

DI PIERRO, M. C. Educação de jovens e adultos na América Latina e Caribe: trajetória recente. Cadernos de Pesquisa (F.C.C.), v38, n134. 2008.

DI PIERRO, M. C. A educação de Jovens e adultos no Plano Nacional de Educação: avaliação, desafios e perspectivas. Educação & Sociedade, v31, n112, 2010.

FERRARI, C. R. Avaliação dos estudantes do PROEJA: em busca da inovação. Cadernos FAPA, número especial, 2007.

FILHO, D. L. L. O PROEJA em Construção: enfrentando desafios políticos e pedagógicos. Educação e Realidade, v35(1), 2010.

FILHO, E. A., e SALCIDES, A. M. F. Vantagens da alfabetização na perspectiva de adultos residentes em áreas rurais do Brasil e de Portugal. Cadernos da História da Educação (UFU), n6, 2007.

FURTADO, E. D. P., e LIMA, K. R. R. EJA, Trabalho e Educação na Formação profissional: possibilidades e limites. Educação e Realidade, v35(1), 2010.

HADDAD, S. A ação de governos locais na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação ANPED, v12, n35, 2007.

HADDAD, S. A participação da sociedade civil brasileira na educação de jovens e adultos e na CONFINTEA VI. Revista Brasileira de Educação ANPED, v14, n41, 2009.

HOTZ, K. G. A política educacional do PROEJA e o atendimento das demandas econômicas e sociais. Trabalho & Educação, v19, n1, 2010.

INFANTE, M. I. Acerca del dominio del código de la escritura em América Latina y su relación con los desafios actuales: conclusiones de uma investigación em siete países de América Latina. Educação & Sociedade, v23, n81, 2002.

MASCHIO, E. F.; PRADO, E. M., e SOUZA, M. A. O Plano nacional de Educação e a Educação de Jovens e Adultos no estado do Paraná. Olhar de Professor, v12(1), 2009.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência e Educação. V.9, n.2, p.191-211, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v9n2/04.pdf>. Acesso em 20 de fevereiro de 2012.

MORAES, Roque. GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Ciência e Educação. V.12, n.1, p.117-128, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v12n1/08.pdf>. Acesso em 20 de fevereiro de 2012.

MORAES, Roque. GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise textual discursiva. 2ª Ed. Rio Grande do Sul: Unijuí, 2011.

PAIVA, J. Tramando concepções e sentidos para redizer o direito à educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação ANPED, v11, n33, 2006.

PORTELA, J. L. Educação e trabalho: reflexões sobre a proposta do Programa Nacional de Integração da Educação profissional com a Educação básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Trabalho & Educação, v18, n2, 2009.

RIBEIRO, V. M., e SOARES, T. M. Construção de escala combinada para a medição do alfabetismo em contexto não escolar. Estudos em Avaliação Educacional, v19, n41, 2008.

RIBEIRO, V. M., VÓVIO, C. L., e MOURA, M. P. Letramento no Brasil: alguns resultados do indicador nacional de alfabetismo funcional. Educação & Sociedade, v23, n81, 2002.

RODRIGUEZ, L. M. Educação de jovens e adultos na América Latina: políticas de melhoria ou de transformação; reflexões com vistas à VI CONFINTEA. Revista Brasileira de Educação ANPED, v14, n41, 2009.

RUMMERT, S. M. A “marca social” da educação de jovens e adultos trabalhadores. Trabalho & Educação, 2008.

RUMMERT, S. M., e ALVES, N. Jovens e adultos trabalhadores pouco escolarizados no Brasil e em Portugal: alvos da mesma lógica de conformidade. Revista Brasileira de Educação ANPED, v15, n45, 2010.

RUMMERT, S. M., e VENTURA, J. P. Políticas públicas para educação de jovens e adultos no Brasil: a permanente (re)construção da subalternidade – considerações sobre os Programas Brasil Alfabetizado e Fazendo Escola. Educar em Revista, n29, 2007.

SOUZA, M. C. R. F., e FONSECA, M. C. F. R. Mulheres, homens e matemática: uma leitura a partir dos dados do Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional. Educação e Pesquisa, v34, n3, 2008.

TARTUCE, G. L. B. P. Balanço da produção de conhecimentos sobre educação não escolar de adultos: PLANFOR e educação do trabalhador, 1999-2006. Revista e-Curriculum (PUC-SP), v5, n1, 2009.

Downloads

Publicado

2015-08-09

Como Citar

Freitas, A. V., & Pires, C. M. C. (2015). Panorama da avaliação da Educação de Jovens e Adultos sob perspectivas da Educação Matemática. Horizontes, 33(1). https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i1.107