A institucionalização de sistemas internos de garantia de qualidade, como pilar para o desenvolvimento de processos de autorregulação de IES

Resumo

Este estudo visa analisar os processos regulatórios e avaliativos de instituições portuguesas, por meio dos Sistemas Internos de Garantia da Qualidade, para estabelecer proposições junto ao modelo brasileiro e favorecer os processos de autorregulação. Caracteriza-se tal pesquisa como exploratória, pois se preocupou em identificar fatores determinantes, que contribuíram para a ocorrência dos fenômenos. Na concepção metodológica, configura-se pela escolha do método qualitativo, baseada no aprofundamento da compreensão do que se estuda e da análise dos resultados. Como resposta, o estudo revelou que um processo favorecerá a qualidade na medida em que tenha mecanismos de autorregulação robustos, bem desenvolvidos, de forma contínua, com credibilidade junto à comunidade acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Juliana da Silva Dias, Universidade Tiradentes
Possui graduação em Matemática - Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Sete Lagoas/MG, especialização em Matemática e Estatística pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) Lavras/MG, Mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade Tiradentes (Unit) Aracaju/SE. É professora nas áreas de Matemática e Estatística, junto aos cursos da área de Ciências Exatas e Tecnológicas, atuou como Procuradora Institucional e Gerente de Acreditação e Avaliação do Grupo Tiradentes. Tem larga experiência na área de Avaliação da Educação Superior, Matemática Estatística, com ênfase em indicadores educacionais. Expertise em processos regulatórios e avaliativos de cursos de graduação e institucionais. Obtendo pleno êxito em processos regulatórios/avaliativos para autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos de graduação, incluindo Direito e Medicina, além de exitosa participação em editais de chamada pública de mantenedoras de Instituições de Educação Superior do sistema federal de ensino para seleção de propostas para autorização de funcionamento de cursos de Medicina em municípios selecionados. E também em processos regulatórios/avaliativos institucionais, a saber: Credenciamento de Faculdade; Recredenciamento de Faculdade, Centro Universitário e de Universidade; Transformação acadêmica de Faculdade para Centro Universitário. Experiência em processos de acreditação internacional, por meio da Agência independente de garantia de qualidade, o IEP está listado no Registro Europeu de Garantia de Qualidade para o Ensino Superior (EQAR) e é membro pleno da Associação Europeia de Garantia da Qualidade no Ensino Superior (ENQA). Possuindo também experiência no controle e acompanhamento de indicadores de qualidade da Educação Superior, vivência nos processos de avaliação interna, junto a Comissão Própria de Avaliação (CPA). E também experiência educacional internacional na Universidade de Aveiro, em Portugal, estudando e desenvolvendo de modelos de avaliações educacionais.
Cassius Gomes de Oliveira, Universidade Tiradentes
Possuo graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (IBILCE - UNESP - www.ibilce.unesp.br ) (dez/2001) e mestrado em Matemática Aplicada e Computacional pelo Departamento de Ciências da Computação e Estatística (DCCE) pela mesma universidade (fev/2004). Atualmente sou professor adjunto III da Universidade Tiradentes (UNIT www.unit.br), na qual estou capacitado a ministrar as disciplinas: as disciplinas: Álgebra I, Álgebra II, Álgebra Linear, Álgebra das Matrizes, Álgebra Vetorial, Análise Matemática, Bases matemáticas, Cálculo Avançado, Cálculo I, Cálculo II, Cálculo Diferencial e Integral I, Cálculo para Computação I, Cálculo Numérico, Equações Diferenciais, Estatística Computacional, Fundamentos da Matemática, Fundamentos de Matemática Computacional, Geometria Analítica e Álgebra Vetorial, Informática Básica, Linguagem de Programação, Matemática Computacional, Métodos Estatísticos, Tópicos Específicos de Matemática, Raciocínio Lógico e Quantitativo e Habilidades Profissionais/Informática I. No período de abril de 2007 a abril de 2009 trabalhei como professor substituto da Universidade Federal de Sergipe UFS (www.ufs.br), onde ministrei as disciplinas: Cálculo I, Cálculo II, Cálculo III, Equações Diferencias I, Cálculo Numérico I e Vetores e Geometria Analítica. No período de fevereiro de 2008 a janeiro de 2012 fui professor do núcleo de ensino à distância (UNIT EAD) da Universidade Tiradentes, trabalhando com as disciplinas: Geometria Analítica, Cálculo Numérico, Variáveis Complexas e Álgebra Linear. No período de agosto de 2010 a janeiro de 2020, fui docente da Faculdade Dom Pedro II (antiga Faculdade Jose Augusto Vieira), na qual estou envolvido com as disciplinas: Cálculo I, Cálculo II, Cálculo Numérico, Estruturas Algébricas, Álgebra I e Vetores e Geometria Analítica. Desde de março de 2020 estou como docente do Instituto Federal de Sergipe - Campus Itabaiana, ministrando as disciplinas de Matemática I e Matemática II. Também possuo conhecimento básico dos softwares SCILAB, MATLAB e das linguagens de programação Python e R. Além disso, tenho as certificações nível 1, 2 e trainner na plataforma Google for Education

Referências

APPOLINÁRIO, F. Dicionário de metodologia científica: um guia para a produção do conhecimento científico. São Paulo, Atlas, 2009.

BANDURA, A. Self-regulation of motivation through anticipatory and selfreactive mechanisms. In: Dienstbier, R.A. (Ed.) Perspectives on motivation: Nebraska symposium on motivation. Lincoln, University of Nebraska Press, vol. 38, pp. 69-164, 1991.

BANDURA, Albert, AZZI, Roberta Gurgel, POLYDORO, Soeli (Orgs). Teoria social cognitiva – Conceitos Básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis, Vozes, 2006.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC. Apostila, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GONÇALVES, Elisa Pereira. Iniciação à pesquisa científica. Campinas, SP: Editora Alínea, 2001.

JOSÉ FILHO, M. Pesquisa: contornos no processo educativo. In: JOSÉ FILHO, M; DALBÉRIO, O. Desafio da pesquisa. Franca: Unesp – FHDSS, p.63-75, 2006.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E.D.A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

MAY, T. Pesquisa Social: questões, métodos e processo. Porto Alegre, Artmed, 2004.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

OLIVEIRA, M. M. Como Fazer Pesquisa Qualitativa. Petrópolis, Vozes, 2007.

POLYDORO, S. A. J. & Azzi, R. Autorregulação: aspectos introdutórios. In: Bandura, A.; Azzi, R.; Polydoro, S. A. J. (orgs.). Teoria Social Cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre, Editora Artmed, pp. 149-164, 2008.

PORTUGAL. A3ES. Avaliação/Acreditação de Ciclos de Estudos em Funcionamento - Ensino Universitário. Lisboa, 2012. Disponível em: http://www.a3es.pt/pt/acreditacao-e-auditoria/guioes-e-procedimentos/avaliacao/acreditacao-de-ciclos-de-estudos-em-funcionamento (Último acesso em 08/03/2020).

PORTUGAL. A3ES. Avaliação/Acreditação Prévia de Novo Ciclo de Estudos. Lisboa, 2016. Disponível em: http://www.a3es.pt/pt/acreditacao-e-auditoria/guioes-e-procedimentos/acreditacao-previa-de-novos-ciclos-de-estudos (Último acesso em 08/03/2020).

PORTUGAL. A3ES. Manual de Avaliação, Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, Lisboa, 2012. Disponível em: Disponível em: http://www.a3es.pt/sites/default/files/Manual%20de%20avalia%C3%A7%C3%A3o.pdf (Último acesso em 02/03/2020).

PORTUGAL. A3ES. Pedido de Acreditação Prévia de Novo Ciclo de Estudos. Lisboa, 2016. Disponível em: http://www.a3es.pt/pt/acreditacao-e-auditoria/guioes-e-procedimentos/acreditacao-previa-de-novos-ciclos-de-estudos (Último acesso em 08/02/2020).

PORTUGAL. Universidade de Aveiro. Manual da Qualidade. Aveiro, 2016. Disponível em: https://www.ua.pt/sigq/page/22105 (último acesso em 10/02/2020).

PORTUGAL. Universidade de Coimbra. Manual do Sistema de Gestão. Coimbra, 2016. Disponível em: https://www.uc.pt/damc/manual/manual_sistema_gestao_15 (último acesso em 10/02/2020).

PORTUGAL. Universidade do Porto. Manual do Sistema de Gestão da Qualidade da Universidade do Porto. Porto, 2016. Disponível em: file:///C:/Users/CASSIUS/Desktop/Manual_do_SGQ.UP_v20161209.pdf (último acesso em 10/02/2020).

SÁNCHEZ Gamboa, Silvio, Pesquisa em educação: métodos e epistemologias – 2.ed. – Chapecó: Argos, 2012.

SILVA, Kátia R. X. da. Programa de aperfeiçoamento do desempenho (PAD): Desafios ao enriquecimento curricular no curso de Educação Física do UNIABEU – Centro Universitário. Revista UNIABEU Belford Roxo. v. 6, n. 13, pp. 342-357, mai./ago. 2013.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa

qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

ZIMMERMAN, B. J. Attaining self-regulation: A social-cognitive perspective. In: M. Boekaerts, M.; Pintrich, P.; Zeidner, M. (eds.). Self-regulation: Theory, research, and applications. Orlando, FL7 Academic Press, pp. 13– 39, 2000.

ZIMMERMAN, B. J. Achieving self-regulation. In: Pajares, F. & Urdan, T. Adolescence and education, Volume 2: Academic motivation of adolescents. Greenwich, CT: Information Age Publishing, pp. 1-27, 2002.

Publicado
2021-02-25
Como Citar
Dias, J. da S., & de Oliveira, C. G. (2021). A institucionalização de sistemas internos de garantia de qualidade, como pilar para o desenvolvimento de processos de autorregulação de IES. Horizontes, 39(1), e021004. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.1087