As repercussões das condições de trabalho na organização do trabalho coletivo e (re)elaboração do projeto político-pedagógico na escola básica

Renata Cristina Oliveira Barrichelo Cunha

Resumo


O artigo sistematiza análises de uma pesquisa interessada em compreender o processo de discussão e (re)elaboração do projeto político-pedagógico da escola básica no contexto das atividades de trabalho pedagógico coletivo. A pesquisa vem sendo desenvolvida em uma escola da rede pública estadual paulista e envolve o acompanhamento do trabalho coletivo dos professores. As transcrições dos encontros são analisadas na perspectiva sócio-histórica e evidenciam que o envolvimento no processo de discussão e (re)elaboração do projeto político-pedagógico da escola não supõe apenas disponibilidade e compromisso dos professores, mas condições de trabalho que favoreçam a participação, engajamento e dedicação a um plano de ação que responda aos problemas identificados em contexto. Os registros de acompanhamento de dois grupos de professores permitem afirmar que as formas de contratação, remuneração e estabilidade dos professores repercutem nas condições de ensino, desenvolvimento profissional docente e, consequentemente, na organização do trabalho coletivo a favor do projeto político-pedagógico.


Palavras-chave


Formação centrada na escola; Condições de trabalho; Trabalho docente coletivo; Projeto político-pedagógico

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel. Escola reflexiva e supervisão: uma escola em desenvolvimento e aprendizagem. Porto: Porto Editora, 2000.

ALVES, Thiago; PINTO, José M. R. Remuneração e características do trabalho docente no Brasil: um aporte. Cadernos de Pesquisa, v.41, n.143, maio/ago, 2011.

ASSUNÇÃO, Ada A.; OLIVEIRA Dalila A. Intensificação do trabalho e saúde dos professores. Educação e Sociedade, Campinas, v. 30, n. 107, p. 349-372, maio/ago. 2009.

BARROSO, João. Formação, projecto e desenvolvimento organizacional. In: CANÁRIO, R. (org.). Formação e situações de trabalho. Porto: Porto Editora, 2003.

______. A escola tem futuro? Das promessas às incertezas. Porto Alegre: Artmed, 2006.

______. Fazer da formação um projeto: mudar as escolas ou os centros de formação? Lisboa: IIE, 2001.

CUNHA, Renata C. O. B.; OMETTO, Cláudia B. C. N. O trabalho coletivo na escola: o projeto político-pedagógico como pauta de formação. Educação, Porto Alegre, v. 36, n. 3, p. 402-411, set./dez. 2013.

CUNHA, Renata C. O. B.; PRADO, Guilherme V.T. Formação centrada na escola, desenvolvimento pessoal e profissional de professores. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, n. 28, p. 103-113, jan.-jun. 2010.

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de janeiro, v.24, p.40-52, set./dez. 2003.

______. A escola “faz” as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, p.1105-1128, out. 2007.

FREITAS, Maria T. A. A abordagem sócio-histórica como orientadora da pesquisa qualitativa. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p 21-39, jul. 2002.

FULLAN, Michael; HARGREAVES, Andy. Por que é que vale a pena lutar? O trabalho de equipa na escola. Porto: Porto Editora, 2001.

GATTI, Bernadete A. et. al. A atratividade da carreira docente no Brasil. Estudos & Pesquisas Educacionais, São Paulo, n. 1, p. 139-209, mai. 2010.

GERALDI, Corinta M. G. Currículo em ação: buscando a compreensão do cotidiano da escola básica. Pro-Posições, Campinas, v. 5, n. 3, p.111-132, nov. 1994.

GIOVANI, Luciana M. Do professor informante ao professor parceiro: reflexões sobre o papel da universidade para o desenvolvimento profissional de professores e as mudanças na escola. Caderno CEDES, Campinas, Centro de Estudos Educação e Sociedade, v.19, n.44. abr. 1998.

EZPELETA, Justa; ROCKWELL, Elsie Pesquisa participante. São Paulo: Cortez, 1986.

HELLER, Agnes. O Cotidiano e a História. 6ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

HYPOLITO, Álvaro M.; IVO, Andressa A. Políticas curriculares e sistemas de avaliação: efeitos sobre o currículo. Revista e-Curriculum, São Paulo, Programa de Pós-Graduação Educação: Currículo da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, v.02, n.11, p.376-392, ago. 2013

KRAMER, Sonia. Leitura e escrita como experiência: seu papel na formação de sujeitos sociais. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, Editora Dimensão, v.6, n.31, p.17-27, jan.-fev. 2000.

MIGLIAVACCA, Adriana. Condições de trabalho do professor. In: OLIVEIRA, Dalila A.; DUARTE, Adriana M. C.; VIEIRA, Lígia M. F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. CDROM.

OLIVEIRA, Dalila A.; ASSUNÇÃO, Ada A. Condições de trabalho docente. In: In: OLIVEIRA, Dalila A.; DUARTE, Adriana M. C.; VIEIRA, Lígia M. F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010. CDROM.

PARO, Vitor H. Trabalho docente na escola fundamental: questões candentes. Cadernos de Pesquisa, v.42, n.146, p.586-611, maio/ago. 2012.

PEREIRA, Sueli M. Políticas de Estado e organização político-pedagógica da escola: entre o instituído e o instituinte. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 60, p. 337-358, jul./set. 2008.

PETIT, Michéle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. 2ª ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

PETIT, Michéle. A arte de ler: ou como resistir à adversidade. São Paulo, Editora 34, 2010.

SADALLA, Ana M. F. A.; SÁ-CHAVES, Idália. Constituição da reflexividade docente: indícios de desenvolvimento profissional coletivo. Revista ETD - Educação Temática Digital, Campinas, Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, v.9, n.2, p.189-203, jun. 2008.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Resolução SE 75, de 28-11-2013. Dispõe sobre o processo anual de atribuição de classes e aulas ao pessoal docente do Quadro do Magistério. Disponível em: http://siau.edunet.sp.gov.br/ItemLise/arquivos/75_13.HTM?Time=28/09/2014%2006:46:54 .

SOLIGO, Rosaura. Para elaborar o registro do projeto político-pedagógico. Subsídio de orientação para formação dos gestores das Secretarias Municipais da Educação de Rio Branco-AC e de Aracruz-ES. São Paulo: Abaporu, 2007.

VEIGA, Ilma P.A. Inovações e projeto político-pedagógico: uma relação regulatória ou emancipatória? Cadernos CEDES, Campinas, v.23, n.61, p. 267-281, dez. 2003.

ZANON, A. et al. Leitura como prática cultural e sustentabilidade. In: VI Simpósio de Práticas Educativas na Educação Básica, 2012, Piracicaba-SP. Anais do VI Simpósio de Práticas Educativas na Educação Básica. Piracicaba: Colégio Piracicabano, 2012, p.1-8.




DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i1.118

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia