A formação continuada segundo os (as) professores (as) do ensino médio no norte do Tocantins: forma, finalidade e conteúdo

Resumo

O presente artigo trata da formação continuada para os (as) professores (as) da educação básica. O objetivo é analisar as concepções e as possíveis indicações para o desenvolvimento profissional permanente a partir da na manifestação dos (as) professores (as) do ensino médio. O estudo coletou informações junto ao quadro docente da rede estadual de ensino do norte do Tocantins, aplicando 110 questionários. As respostas revelam que para a maioria dos participantes da pesquisa a formação continuada deve complementar o processo formativo, sendo um aperfeiçoamento ou aprimoramento profissional. Deve também ser realizada no médio prazo e em espaço escolar. Os principais interesses de estudos são os temas específicos das áreas de conhecimento e aqueles relativos às especificidades do trabalho docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cleomar Locatelli, Universidade Federal do Tocantins (UFT)

Doutor em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Mestre em Educação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professor associado na Universidade Federal do Tocantins (UFT), Campus de Tocantinópolis - TO. 

 

Hélida Queiroz, Rede Estadual de Ensino do Tocantins

Graduada de Pedagogia, especialista em Organização do Trabalho Escolar, coordenadora pedagógica da rede pública de ensino no estado do Tocantins. 

Referências

ALMEIDA, L. R. A dimensão relacional no processo de formação docente. São Paulo: Loyola, 2006.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Relatório do 3º ciclo de monitoramento das metas do Plano Nacional de Educação – 2020. Brasília, 2020. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/6975827. Acesso em: 13 abr. 2021.

BRASIL. Resolução nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial de professores para a educação básica e institui a Base Nacional Comum para a formação inicial de professores da educação básica (BNC-Formação). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 31 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Acesso em: 03 jul. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 25 jun.2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 26 jan.2021.

BAZZO, V.; SCHEIBE, l. De volta para o futuro... retrocessos na atual política de formação docente. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.13, n.27, p.669-684, set./dez. 2019. Disponível em: http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde. Acesso em 08 nov. 2020.

CASTRO, M. M. C.; AMORIM, R. M. A. A formação inicial e a continuada: diferenças conceituais que legitimam um espaço de formação permanente de vida. Cad. Cedes, Campinas, v.35, n.95, p.37-55, jan.-abr., 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ccedes/v35n95/0101-3262-ccedes-35-95-00037.pdf. Acesso em: 11 nov.2020.

CANDAU, V. M. Formação continuada de professores: tendências atuais. In: REALI, A.; MIZUKAMI, M. G. N. Formação de professores: tendências atuais. São Carlos: Ed. UFSCAR, 1996, p.139-152.

DINIZ-PEREIRA, J. E. Formação de professores, trabalho e saberes docentes. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v.24, n.3, p.143-152, set-dez. 2015.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GADOTTI, M. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido. 2. ed. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2011.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Revista educação e pesquisa, São Paulo, v.30, n.1, p.11-30, jan./abr. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022004000100002. Acesso em: 07 ago. 2020.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. A; ALMEIDA, P. C. A. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa, 2004.

OLIVEIRA, D. A. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educ. Soc., Campinas, v.25, n.89, p.1127-1144, set./dez. 2004. Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br Acesso em: 30 mar. 2021.

SANTOS, E. O.; BATISTA NETO, J. Concepções e práticas de formação continuada na educação básica. Interritórios: Revista de Educação Universidade Federal de Pernambuco, v.2, n.3, p.101-120, 2016. ISSN 2525-7668. Disponível em: file:///C:/Users/cleo_/Downloads/8692-16179-1-SM.pdf. Acesso em: 21 de set. 2021.

TOCANTINS. Lei nº 2.977, de 08 de julho de 2015. Aprova o Plano Estadual de Educação do Tocantins – PEE/TO (2015-2025), e adota outras providências. Diário Oficial do Estado do Tocantins, Palmas, n.4.411, 9 jul. 2015.

VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: UTFPR, 2012.

Publicado
2021-10-06
Como Citar
Locatelli, C., & Queiroz, H. (2021). A formação continuada segundo os (as) professores (as) do ensino médio no norte do Tocantins: forma, finalidade e conteúdo. Horizontes, 39(1), e021055. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.1195