Como analisar o métier do professor alfabetizador?

Contribuições teórico-metodológicas da perspectiva histórico-cultural e da clínica da atividade

Resumo

A partir de pesquisa realizada com professoras alfabetizadoras, o artigo problematiza a articulação das instâncias de pesquisa, intervenção e formação profissional, como lócus de desenvolvimento profissional. Com o objetivo de discutir como os recursos de ensino – instrumentos técnico-semióticos mediadores – são organizados pelo professor, foram realizadas 28 atividades com o grupo de professoras, incluindo sessões de observação, entrevistas e reuniões individuais, em duplas e coletivas. As atividades propostas às professoras foram pautadas por procedimentos da Clínica da Atividade e, dadas as particularidades da situação de pesquisa na escola, os procedimentos foram adaptados e transformados, mantendo os princípios básicos do referencial – instaurar o diálogo sobre situações concretas de trabalho, tendo em vista a (re)elaboração do métier e a ampliação do poder de agir do professor alfabetizador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

ALBUQUERQUE, E. B. C. de; MORAIS, A. G. de; FERREIRA, A. T. B. As práticas cotidianas de alfabetização: o que fazem as professoras? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.13, n.38, p.252-264, ago. 2008.

ALMEIDA, A. P. C.; LIMA, M. E. A. A instrução ao sósia no contexto da pesquisa: diferentes modos de apropriação do instrumento. Horizontes, Itatiba, v.35, n.3, p.58-70, 2017.

AMIGUES, R. Trabalho do professor e trabalho de ensino. In: MACHADO, A. R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004. p.35-53.

AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas ciências humanas. São Paulo: Musa, 2001.

ANJOS, D.; SMOLKA, A. L. B.; BARRICELLI, E. Atividade de pesquisa, atividade de ensino: a atividade do intervenant no campo da educação. Horizontes, Itatiba, v.35, n.3, p.133-145, 2017.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Trad. M. E. G. G. Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRANDÃO, G. R. Olhares e fazeres distintos sobre a intervenção e a pesquisa. In: BANKS-LEITE, L.; SMOLKA, A. L. B.; ANJOS, D. D. Diálogos na perspectiva histórico-cultural: interlocuções com a clínica da atividade. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016. p.131-152.

CASTILHO, A. T.; PRETI, D. (orgs.). A linguagem falada culta na cidade de São Paulo: materiais para seu estudo. projeto de estudo da norma lingüística urbana culta de São Paulo – projeto NURC/SP – vol. II: diálogo entre dois informantes. São Paulo: T. A. Queiroz; FAPESP: 1987.

CLOT, Y. A função psicológica do trabalho. Trad. Adail Sobral. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

CLOT, Y. De l’analyse des pratiques au développement des métiers. Éducation et Didactique [on line], v.1, n.1, abr. 2007. Disponível em: http://educationdidactique.revues.org/106. Acesso em: 30 set. 2016. DOI: 10.4000/educationdidactique.106.

CLOT, Y. Trabalho e poder de agir. In: LIMA, F. P. A.; RIBEIRO, R. (org.). Trad. G. J. F. Teixeira, M. M. Z. Vianna. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010.

CLOT, Y. O ofício como operador de saúde. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v.16, n. especial, p. 1-11, 2013.

CLOT, Y. Clínica da Atividade. Horizontes, Itatiba, v.35, n.3, p.18-22, 2017.

FAÏTA, D. Gêneros de discurso, gêneros de atividade, análise da atividade do professor. In: MACHADO, A. R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina, PR: Eduel, 2004. p.55-80.

FAÏTA, D. De l’enseignement de la linguistique générale à l’analyse du travail enseignant. Horizontes, Itatiba, v.35, n.3, p.8-17, 2017.

FRANCHI, C. Linguagem – atividade constitutiva. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n.22, p.9-39, jan./jun. 1992.

FRIEDRICH, J. Lev Vigotski: mediação, aprendizagem e desenvolvimento: uma leitura filosófica e epistemológica. Trad. A. R. Machado, E. G. Lousada. Campinas: Mercado de Letras, 2012.

KOSTULSKI, K. La diversité fonctionnelle du langage: usages et conflictualités dans l’activité. In: CLOT, Y. (org.). Vygotski maintenant. Paris: La Dispute, 2012. p.237-255.

KOSTULSKI, K. A linguagem na análise da atividade: formas de realização e funções psicológicas. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v.16, edição especial, p.59-68, 2013.

MORAES, R. M. A.; MAGALHÃES, E. M. Abordagem clínica na análise da atividade docente: uma via unindo pesquisa, intervenção e formação. Horizontes, Itatiba, v.35, n.3, p.105-120, 2017.

NOGUEIRA, A. L. H. (Re)Inventar a alfabetização: políticas, concepções e práticas alfabetizadoras. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ALFABETIZAÇÃO – CONBAlf, 4., 2019, Belo Horizonte. Anais [...], Eixos temáticos, v.1,. Belo Horizonte: UFMG, 2019. p.1486-1502.

OSORIO DA SILVA, C. Pesquisa e intervenção: movimentos que se cruzam e coexistem, em mútua interferência. In: BANKS-LEITE, L.; SMOLKA, A. L. B.; ANJOS, D. D. Diálogos na perspectiva histórico-cultural: interlocuções com a clínica da atividade. Campinas: Mercado de Letras, 2016. p.153-168.

RABARDEL, P. Les hommes et les technologies: approche cognitive des instruments contemporains. Paris: Armand Colin, 1995. Disponível em: https://hal.archives-ouvertes.fr/hal-01017462. Acesso em: 02 maio 2019.

ROGER, J.-L. Refaire son métier: Essai de clinique de l’activité. Toulouse: Editions Érès, 2010.

ROGER. J.-L. Metodologia e métodos de análise em clínica da atividade. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, São Paulo, v.16, número especial, p.111-120, 2013.

SAUJAT, F. O trabalho do professor nas pesquisas em educação: um panorama. In: MACHADO, A. R. (org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004. p.3-34.

SMOLKA, A. L. B. O (im)próprio e o (im)pertinente na apropriação das práticas sociais. Cadernos Cedes, Campinas, n.50, p.26-40, 2000.

VIGOTSKI, L. S. A consciência como problema da psicologia do comportamento. In: VIGOTSKI, L. S. Teoria e método em psicologia. Trad. C. Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 1996. p.55-85.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Trad. P. Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas, v. III (problemas del desarrollo de la psique). 2. ed. Madrid: Visor, 2000.

VYGOTSKY, L. S. The problem of the cultural development of the child. In: VEER, R. van der; VALSINER, J. (orgs.). The Vygotsky reader. Trad. T. Prout e R. van der Veer. Cambridge: Blackwell, 1994. p.57-72.

Publicado
2021-08-03
Como Citar
Nogueira, A. L. H. (2021). Como analisar o métier do professor alfabetizador? Contribuições teórico-metodológicas da perspectiva histórico-cultural e da clínica da atividade. Horizontes, 39(1), e021037. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.1266
Seção
Seção Temática: Os desafios do trabalho na contemporaneidade