Entre maçãs e números: a sala de aula de matemática, políticas cognitivas e educação matemática

Sônia Maria Clareto

Resumo


A proposta deste artigo é investigar políticas cognitivas praticadas na educação matemática junto a uma sala de aula. O que se pretende é problematizar as noções de cognição e de aprendizagem matemática na sala de aula, junto a relato cartográfico de evento em uma pesquisa de campo, em curso na investigação na qual este artigo se enreda. Neste evento, investigado segundo uma abordagem cartográfica, é travado um diálogo entre professora e alunos em torno da comparação de números. São destacadas as noções de práticas cognitivas e de aprendizagem, perspectivadas pela noção de invenção. O que se pretende é produzir uma torção nos modos de compreender e praticar a aprendizagem na educação matemática, trazendo para o debate uma compreensão de aprendizagem inventiva como constituição mútua si-matemática, a partir do encontro com Friedrich Nietzsche e Gilles Deleuze.

Palavras-chave: Aprendizagem inventiva; Filosofias da diferença; Comparação de números.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v31i1.19

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia