Contradições no/do cotidiano escolar: professores e alunos com deficiência diante do ensino na diversidade

Autores

  • Ana Paula de Freitas Universidade São Francisco
  • Maria Inês Bacellar Monteiro Universidade Metodista de Piracicaba
  • Evani Andreatta Amaral Camargo Centro Universitário Moura Lacerda

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.245

Palavras-chave:

Diversidade, Perspectiva Histórico-Cultural, Educação Especial, Deficiência Intelectual, Cotidiano Escolar

Resumo

Resumo
A partir do referencial teórico histórico-cultural do desenvolvimento humano e de conceitos bakhtinianos de interação dialógica e do ato responsável, temos como objetivos neste texto compreender como professores de alunos com deficiência intelectual têm se posicionado diante do ensino na diversidade, que concepções sobre deficiência orientam seu fazer docente e como avaliam seu trabalho com estes alunos. Para responder a tais questões, analisamos encontros entre professores do Ensino Fundamental II e pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior, em um processo de reuniões colaborativas. Foram trazidos recortes dessas falas docentes, construídos em dois episódios. Como resultados, compreendemos que os educadores têm conhecimento do que lhes cabe ensinar, no entanto, revelam o conflito em que vivem, trazendo as marcas de uma construção social da deficiência. Avaliamos que os encontros na perspectiva colaborativa podem possibilitar reflexões que permitam aos professores pensar sobre suas ações pedagógicas no ensino da diversidade.
Palavras-chave: Diversidade. Perspectiva Histórico-Cultural. Educação Especial. Deficiência Intelectual.
Cotidiano Escolar.

Contradictions in/from school life: teachers and students with disabilities in face of diversity teaching

Abstract
Based on the cultural historical theory of human development and on Bakhtinian concepts of dialogic
interaction and responsible act, it is our aim to understand how teachers of students with intellectual disabilities see education in diversity, what conceptions of disability guide their teaching and how they evaluate their work with these students. To answer these questions, we analyzed meetings between Secondary Schoolteachers and researchers linked to institutions of higher education in a process of collaborative meetings. We herein present clippings of the teachers’ speeches, built in two episodes. As a result, we understand that educators are aware of what they must teach, however, they reveal the conflict in which they live, bringing the marks of asocial construction of disability. We conclude that meetings in a collaborative perspective can produce reflections that allow teachers to think about their educational actions in the teaching of diversity.
Keywords: Diversity. Cultural Historical Perspective. Special Education. Intellectual Disabilities. School life.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula de Freitas, Universidade São Francisco

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da Universidade São Francisco

Maria Inês Bacellar Monteiro, Universidade Metodista de Piracicaba

Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo - USP, Docente do Programa de Pós Graduação da Universidade Metodista de Piracicaba

Evani Andreatta Amaral Camargo, Centro Universitário Moura Lacerda

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado - do Centro Universitário Moura Lacerda – Ribeirão Preto/SP

Referências

AMARAL, L. A. Conhecendo a deficiência (em companhia de Hércules). São Paulo: Robe Editorial, 1995.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 7ª ed. São Paulo: Hucitec, 1995.

BAKHITN, M. Estética da Criação Verbal. 4.ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do ato responsável. 2ª ed. São Carlos: Pedro e João Editores, 2012, p. 41-146.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Casa Civil, Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 23 jun. 2015.

BRASIL. Planejando a próxima década: conhecendo as 20 metas do Plano Nacional de Educação. Ministério da Educação. Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino, 2014. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/images/pdf/pne_conhecendo_20_metas.pdf. Acesso em: 11 jun. 2015.

CARVALHO, M. de F. Conhecimento e vida na escola: convivendo com as diferenças. Campinas: Autores Associados. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

DAINEZ, D. A inclusão escolar de crianças com deficiência mental: focalizando a noção de compensação na abordagem histórico-cultural. Dissertação (Mestrado em Educação) PPGE em Educação da Faculdade de Ciências Humanas. Piracicaba: Universidade Metodista de Piracicaba, 2009. Disponível em: <https://www.unimep.br/phpg/bibdig/pdfs/2006/THJXLGNYJXOD.pdf>. Acesso em: 12 jun 2015.

FERREIRA, M. C. C. Os movimentos possíveis e necessários para que uma escola faça a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. In: JESUS, D. M.; BAPTISTA, C.R; VICTOR, S. L. (Orgs.). Pesquisa e educação especial: mapeando produções. Vitória: Edufes, 2006. p.139-154.

GERALDI, J.W. Bakhtin tudo ou nada diz aos educadores: os educadores podem dizer muito com Bakhtin. In: FREITAS, M.T. de A. (org.) Educação, Arte e Vida em Bakhtin. Belo Horizonte: Autêntica, 2013, p. 11-28.

IBIAPINA, I.M.L.M. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro. 2008.

MARX.K; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo Editorial. Tradução Rubens Enderle, Nélio Schneider, Luciano Cavini Martorano, 2007.

MOYSÉS, M.A.A.; COLLARES, C.A.L. Revendo questões sobre a produção e a medicalização do fracasso escolar. In: VICTOR, S.L.; DRAGO, R.; CHICON, J.F. (orgs.) Educação Especial e Educação Inclusiva: conhecimentos, experiências e formação. Araraquara: Junqueira&Marin, 2011, p. 21-41.

PINO, A. O conceito de mediação semiótica em Vygotsky e seu papel na explicação do psiquismo humano. Cadernos Cedes, nº 24, 1991. p. 32-43.

PINO, A. O social e o cultural na obra de Lev S. Vigotski. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 71, julho/2000, P. 45-78.

SILVA, F. P. A constituição do professor no contexto da educação inclusiva: reflexões sobre sua formação e prática. 2015. 95f. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Mestrado do Centro Universitário Moura Lacerda, Ribeirão Preto, 2015.

SMOLKA, A. L. B. Ensinar e significar: as relações de ensino em questão ou das (não)coincidências nas relações de ensino. Em: Smolka, A. L. B. & Nogueira, A. L. H. Questões de desenvolvimento humano: práticas e sentidos. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2010, p. 107 - 128.

VIEIRA, S. da S. P. A constituição do sujeito com deficiência intelectual: um estudo das práticas na escola pública. Dissertação (Mestrado em Educação) Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2013, 81f.

VIGOTSKI, L.S. Psicologia concreta do homem. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 71, julho/2000, p. 23-44.

VYGOTSKI, L.S. Obras Escogidas III: Problemas Del desarrollo de la psique. Madri: Visor. 1995.

VYGOTSKI, L.S. Obras Escogidas V: Fundamentos de defectología. Madri: Visor, 1997.

WERNER, J. Saúde e Educação. Rio de Janeiro: Gryphus, 2005. (Educação em Diálogo. v. 5.)

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

Freitas, A. P. de, Monteiro, M. I. B., & Camargo, E. A. A. (2015). Contradições no/do cotidiano escolar: professores e alunos com deficiência diante do ensino na diversidade. Horizontes, 33(2). https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.245