Diversidade cultural, produção de subjetividade e infância: pensando o cotidiano na educação infantil

Autores

  • Kassia de Oliveira Martins Siqueira Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Marina Bueno Universidade de Estado do Rio de Janeiro
  • Taís Souza Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.250

Palavras-chave:

diversidade, cultura, infância, cotidiano, subjetividade.

Resumo

Resumo
O presente artigo tem como objetivo problematizar o cotidiano na educação infantil e sua relação com o discurso contemporâneo sobre a infância, colocando em análise a definição atual de criança presente nas políticas públicas e nas legislações no âmbito da educação. A análise proposta tem como ponto de partida a experiência de uma das autoras em uma creche situada no município do Rio de Janeiro, de onde são apontados alguns elementos constitutivos das políticas públicas de educação e seus discursos sobre infância, sobretudo aqueles que enquadram o “ser criança” pelo que lhe falta, pelo que não sabem/fazem/conhecem, desconsiderando-as em suas singularidades. A metodologia escolhida para esse estudo é a pesquisa-intervenção, ferramenta da Análise Institucional, em que o conhecimento se produz a partir da problematização das intervenções do pesquisador e de suas implicações com o objeto de pesquisa. Como referências teóricas são utilizadas fundamentalmente as abordagens de Amarante (2012), Foucault (2004) e Guattari e Rolnik (1986).
Palavras-chave: diversidade; cultura; infância; cotidiano; subjetividade.

Cultural diversity, subjectivity production and childhood: thinking the daily life in early childhood
education

Abstract
This article aims to discuss the daily life in early childhood education and its relation to the contemporary discourse about childhood, taking into question the current definition of child that is found in public policy and legislation of the field of education.The proposed analysis takes as it’s starting point the experience of one of the authors at a daycare center in the municipality of Rio de Janeiro, from which some constituent elements of public education policies and their speeches about childhood are pointed, especially those which take the "child being" for what they lack, for what they do not know/do, disregarding them in their singularities.The methodology chosen for this study is the research-intervention, Institutional Analysis tool, from which knowledge is produced from the questioning of the interventions of the researcher and its implications with the research object.
Keywords: diversity; culture; childhood; everyday; subjectivity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kassia de Oliveira Martins Siqueira, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Assistente social com especialização em Serviço Social e Saúde, doutoranda e mestre em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Marina Bueno, Universidade de Estado do Rio de Janeiro

Assistente social na Secretaria de Educação do município do Rio de Janeiro e doutoranda do Programa de Pós Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (UERJ). Bolsista CAPES/PDSE, com
estágio doutoral realizado na Universidade de Bolonha (Itália).

 

Taís Souza, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Pedagoga pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora de Educação Infantil. Graduanda em Letras pela Universidade Federal Fluminense.

 

Referências

AMARANTE, Paulo; COSTA, Ana Maria. Diversidade Cultural e Saúde. Rio de Janeiro: Cebes, 2012.

AVELINO Nildo. Do governo dos vivos: uma genealogia da obediência. In: Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e Exclusão. ANPUH/SP –USP. 08 a 12 de setembro de 2008.

BRASIL. Constituição Federal de 1988.

BRASIL, LDB. Lei 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos: Ética, sexualidade, política. MOTTA, Manoel Barros da (Org.). Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004. v. 5.

FUGANTI, Luiz. Saúde, desejo e pensamento. São Paulo Ed: linha de fuga, 2008.

GUATTARI, Félix e ROLNIK, Suely. Micropolítica: Cartografias do desejo, Petrópolis, Ed. Vozes, 1986.

KANT, Immanuel. Sobre a Pedagogia. 3. ed., Piracicaba: Editora Unicamp, 1999.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, T. T. (org.) O sujeito da

educação: estudos foucaultianos. Petrópolis Vozes, 1994.

MACHADO, Roberto. Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2004.

NASCIMENTO, Maria Lívia do. Proteção e negligência: pacificando a vida de crianças e adolescentes. [2013] não publicado.

PASSETTI, Edson. Governamentalidade e violências. Currículo sem fronteiras, v.11, n.1, pp.42-53, Jan/Jun 2011.

NIETZSCHE, Friedrich. A gaia ciência. Tradução de Paulo César de Souza. 1ªEdição. São Paulo. Companhia das Letras, 2012.

SPINOZA, Benedictus de. Ética. 2ªedição. 1ªreimpressão. Belo Horizonte: autêntica Editora. 2013.

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

Siqueira, K. de O. M., Bueno, M., & Souza, T. (2015). Diversidade cultural, produção de subjetividade e infância: pensando o cotidiano na educação infantil. Horizontes, 33(2). https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.250