Tolerância e diversidade: dos princípios liberais clássicos à política educacional dos anos de 1990

Autores

  • Elma Júlia Gonçalves de Carvalho Universidade Estadual de Maringá
  • Rosangela Celia Faustino Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.257

Palavras-chave:

Tolerância, Diversidade Cultural, Política Educacional, anos de 1990

Resumo

Resumo
Em decorrência da crise econômica mundial atual e dos conflitos sociais, as discussões sobre tolerância têm ocupado lugar central nas definições das políticas públicas governamentais, especialmente nas educacionais. A partir de estudos bibliográficos e documentais, nosso objetivo neste texto é discutir as bases, os fundamentos e as motivações históricas das discussões em torno do tema. Retomando a ideia liberal clássica de tolerância, elaborada no período de formação da sociedade capitalista, analisamos a revitalização de seus princípios nas políticas educacionais internacionais e nacionais produzidas a partir dos anos de 1990. Destacamos que, ao formulá-las, os organismos internacionais, como a ONU e uma de suas principais agências, a UNESCO, têm como finalidade promover a coesão social.
Palavras-chave: tolerância, diversidade, política educacional, anos de 1990.

Tolerance and diversity: from the classical liberal principles to the educational policy of the 1990s

Abstract
Due to the current global economic crisis and social conflicts arising from it, discussions about tolerance have occupied central place in the definitions of government policies, reaching directly to education. From bibliographic and documentary studies, our goal in this paper is to discuss the bases, the foundations and the historical motivations of the discussions around the theme. Returning to the classical liberal idea of tolerance developed in the formative period of capitalist society, we analyze the revitalization of its principles in international and national educational policies produced from the 1990s. We emphasize that when formulating them, international organizations such as the UN and one of its main agencies, UNESCO, are intended to promote social cohesion.
Keywords: tolerance, diversity, educational policy, 1990s.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elma Júlia Gonçalves de Carvalho, Universidade Estadual de Maringá

Professora da Área de Políticas Públicas e Gestão da Educação do Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá.

Rosangela Celia Faustino, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação. Professora Adjunta do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá-PR. Coordenadora do Observatório da Educação Escolar Indígena (CAPES/INEP/SECADI)

Referências

ARIAS, F. R.. Educación, desigualdad y opciones de la política em América Latina em el siglo XXI. Revista Iberoamericana de Educación. n.23, mayo/ago 2000.

ARRIGHI, G.. A ilusão do desenvolvimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

BRASIL.Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece a Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9394.htm>. Acesso em: 02 mar. 2015.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CALLINICOS, Alex. Capitalismo e racismo. Tradução de: Raceand class. Londres: Bookmarks, 1995. Disponível em: http://socialista.tripod.com

CARVALHO, E. J. G.Políticas Públicas e Gestão Educacional no Brasil. Maringá, Eduem, 2012.

CARDOSO, C. M.. Tolerância e seus limites: um olhar latino-americano sobre a diversidade e desigualdade. São Paulo, Unesp, 2003.

CARDOSO, F. H.. Mensagem ao Seminário Internacional “Ciência, cientistas e a tolerância”. In: Seminário Internacional “Ciência, cientistas e a tolerância”. São Paulo, USP/UNESCO, nov. 1997.

CASTELO, R.. O social-liberalismo: auge e crise da supremacia burguesa na era neoliberal. São Paulo, Expressão Popular, 2013.

DELORS, J. (Org.). Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional Sobre a Educação Para o Século XXI.3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

EVANGELISTA, O. Apontamentos para o trabalho com documentos de política educacional. I Colóquio A Pesquisa em trabalho, educação e Políticas Educacionais. Belém, UFPA, 2009.

Disponível em: http://louderdesign.net/gepeto/producao/finish/25-trabalhos-em-eventos/120-apontamentos-para-o-trabalho-com-documentos-de-politica-educacional.html Acesso em: 18/05/2015

FAUSTINO, R.C. Política educacional nos anos de 1990: o multiculturalismo e a interculturalidade na educação escolar indígena. 2006. 330 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

FLEURY, Sonia. Política social, exclusión y equidaden América Latina em los años noventa. Buenos Aires: Centro de Documentaciónen Políticas Sociales, 1999.

FONTES, C.. Tolerância: em torno de um conceito. Programa nº 12 (Navegando na Filosofia). 2001. Disponível em www.afilosofia.sapo.pt/tolerancia.htm. Acesso em 06/01/2014.

FORRESTER, Viviane. O horror econômico. São Paulo: Editora da UNESP, 1997.

GRUPIONI, L.D.B.; VIDAL, L.; FISCHMANN, R. (Orgs.) Povos indígenas e tolerância: construindo práticas de respeito e solidariedade. São Paulo: EDUSP, 2001.

HARVEY, D.. O novo imperialismo. 2ª ed., São Paulo, Edições Loyola, 2005.

HARVEY, D.. O neoliberalismo: história e implicações. 2ª ed., São Paulo, Edições Loyola, 2008.

HARVEY, D.. O enigma do capital: e as crises do capitalismo. São Paulo, Boitempo, 2011.

LOCKE, J.. Carta acerca da tolerância. São Paulo, Abril Cultural, 1997.

MACEDO, D.; BARTOLOME, L.. O racismo na era da globalização. In IMBERNÓN, F. (Org.). A educação no século XXI: os desafios do futuro imediato. Porto Alegre, 2000.

MARX, K. A Chamada Acumulação Primitiva. In:MARX, K. O Capital: crítica da economia política. 16. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998. Livro 1. v. 2, p. 826-877.

NEVES, L. M. W.; SANT’ANNA, R.. Introdução: Gramsci, o Estado Educador e a Nova Pedagogia da Hegemonia. In: A Nova Pedagogia da Hegemonia: estratégias do capital para educar para consenso. NEVES, Lúcia Maria Wanderley (Org.), São Paulo, Xamã, 2005, p. 18-39.

NEVES, L. M. W. [et al]. Direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil, São Paulo, Xamã, 2010.

ONU/UNESCO. Declaração sobre uma Cultura de Paz. ONU/UNESCO, 1999. Disponívelem:http://www.comitepaz.org.br/download/Declara%C3%A7%C3%A3o%20e%20Programa%20de%20A%C3%A7%C3%A3o%20sobre%20uma%20Cultura%20de%20Paz%20-%20ONU.pdfAcesso em:10 de abril de 2015.

SILVA, S. H. S.. A exterioridade do político e a interioridade da fé: os fundamentos da tolerância em John Locke. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2008.

SMITH A.. A Riqueza das Nações: Investigação sobre sua Natureza e suas Causas. São Paulo: Nova Cultural, vol. 1 e 2, 1996, (Coleção: Os Economistas).

UNESCO. Medium-term strategy of 2014-2021. Paris, UNESCO, 2014. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002278/227860e.pdf Acesso em:10 de abril de 2015.

UNESCO. Declaração de princípios sobre a tolerância (1995). Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001315/131524PORb.pdf>. Acesso em: 23 fevereiro de 2015.

VOLTAIRE, F.M.A. Cartas Filosóficas.1ª ed., São Paulo, Abril Cultural, 1973. ( Coleção: Os Pensadores).

VOLTAIRE, F.M.A.Tratado sobre a Tolerância: a propósito da morte de Jean Calas. 2ª ed., São Paulo. Martins Fontes, 2000.

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

Carvalho, E. J. G. de, & Faustino, R. C. (2015). Tolerância e diversidade: dos princípios liberais clássicos à política educacional dos anos de 1990. Horizontes, 33(2). https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.257