A extensão universitária sob o viés da ética do cuidado: possibilidade de práxis emancipatória

Ilíria François Wahlbrinck

Resumo


Resumo
Considerando Ética do Cuidado como modo de vida em prol da dignidade de vida, objetivou-se conhecer se sua efetivação na Extensão Universitária possibilita diálogo sobre práticas educativas libertadoras. Considera-se Extensão Universitária ação emancipadora e Práticas Educativas Libertadoras como negação/rompimento de estruturas/práticas desumanizantes, apostando em processos humanizadores, cuidadores. Por abordagem qualitativa, metodologia bibliográfica e dialética compreendeu-se que desenvolver ações extensionistas pelo princípio da indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão, de forma dialógica e interdisciplinar, possibilita à instituição formadora poder pontuar seu compromisso histórico-social como universidade comunitária empenhada numa formação profissional em que a humanização seja resultado de práxis libertadora que gera liderança.
Palavras-chave: Extensão Universitária; Ética do Cuidado; Práxis emancipadora; Humanização.


The university extension under the bias of ethics of care: emancipatory praxis possibility

Abstract

Considering Ethics of Care as a way of life for the dignity of life, it was aimed to learn if its effectiveness in the University Extension enables dialogue about liberating educational practices. University Extension is considered an emancipatory action and Liberating Educational Practices as denial / disruption of dehumanizing structures / practices, focusing on humanizing processes, of care. By qualitative approach, bibliographical methodology and dialectics it was understood that developing extension actions by the principle of indivisibility of teaching-research-extension, in a dialogic and interdisciplinary way, enables the educational institution to be able to punctuate its historical and social commitment as a community university engaged in a professional education where humanization is the result of liberating praxis that creates leadership. Keywords: University Extension; Ethics of Care; Emancipatory praxis; Humanization.


Texto completo:

PDF

Referências


Referências

BOTOMÉ, S. P. Pesquisa alienada e ensino alienante – o equívoco da extensão universitária. Petrópolis, RJ: Editora Vozes; São Carlos, SP: Editora da Universidade Federal de São Carlos; Caxias do sul RS: Editora da Universidade de Caxias do Sul, 1996.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 49. ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

CRISOSTIMO, A. L. A produção do conhecimento na extensão universitária: estímulo-ação. In: SCHMIDT, L. P., CRISOSTIMO, A. L. e KIEL, C. A. (Org). O despertar para o conhecimento científico extensionista. Guarapuava: Inicentro, 2011, p. 15-46.

DEMO, P.. Educar pela pesquisa. Campinas-SP: Autores Associados, 1996.

____________. Universidade, aprendizagem e avaliação: horizontes reconstrutivos. Porto Alegre: Mediação, 2004.

FORPROEX. Política Nacional de Extensão Universitária. Manaus, 2012.

FREIRE, P.. Pedagogia do Oprimido. 5ed. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1978.

________. Conscientização. São Paulo: Moraes, 1980.

________. Extensão ou comunicação? 8ed. São Paulo: Paz e Terra, 1985.

________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

GALO, Z. Ética, sustentabilidade e interdisciplinaridade: balizas para a extensão universitária. 2010. Disponível em , acessado em 27/04/2014.

HEIDEGGER, M. Introdução à Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

______. Ser e tempo. 3. ed. Petrópolis: Vozes e Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2008.

______. Carta sobre o humanismo. São Paulo: Centauro, 2005.

MOITA, F. M. G. da S. C. e ANDRADE, F. C. B. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. In: Revista Brasileira de Educação, v.14 n.41 maio/ago 2009, p 269-280.

PÁDUA, E. M. M. de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 8ed. São Paulo: Papirus, 2002.

PAVIANI, J. e POZENATO, J. C. A universidade em debate. Caxias do Sul, Universidade de Caxias do Sul, 1980.

PIMENTA, S. G. Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, 2002. PROen, Pró-Reitoria de Ensino. URI: Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, 2005.

VÁSQUEZ, A. S.. Ética. 30. ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

VAZ, H. C. de L. Escritos de Filosofia II: Ética e Cultura. São Paulo: Loyola, 1988.

RAYS, O. A. Ensino-Pesquisa-Extensão: notas para pensar a indissociabilidade. Disponível em , Acessado em 15/02/2006.

A extensão universitária sob o viés da ética do cuidado: possibilidade de práxis emancipatória 29

Horizontes, v. 34, n. 2, p. 19-29, ago./dez. 2016

SILVA JR., J. dos R. Reforma do Estado e da Educação no Brasil de FHC. São Paulo: Xamã, 2002.

SOUSA SANTOS, B. A universidade do século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

ZABALA, M. A. O ensino universitário. Seu cenário e seus protagonistas. Porto Alegre: ARTMED, 2004.




DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v34i2.466

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia