Marcas da colonização da língua oral na educação dos surdos no Brasil: uma questão de preconceito?

Autores

  • Ruth Maria Rodrigues Garé Universidade São Francisco - USF Puc-Campinas
  • Márcia Aparecida Amador Mascia Universidade São Fracisco - USF

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i2.477

Resumo

Este artigo tem por objetivo discutir a relação da escrita como marca da colonização da língua oral, problematizando se a exigência do domínio de uma escrita normativa do português para os surdos converge ou não para um preconceito linguístico. Ao se desprezar o texto escrito na gramática da Língua de Sinais, a escritura, enquanto, modo de constituição do sujeito pela linguagem, é deixada de lado. Pretende-se empreender uma pesquisa bibliográfica, que tomará como pano de fundo os escritos de Bagno (2011) e Foucault (2010) em especial, para provocar uma reflexão em torno da questão da alteridade na educação dos surdos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ruth Maria Rodrigues Garé, Universidade São Francisco - USF Puc-Campinas

É docente de Libras e trabalha com atendimento educacional especializado (AEE) no Núcleo de Atendimento e Apoio aos estudantes com necessidades educacionais especiais (NAP) na Universidade São Francisco. É docente de Libras nos cursos de Licenciatura da Pontifícia Universidade Católica - PUC- Campinas e atua como docente em curso de Pós-Graduação em Libras da Faculdade Jaguariúna. Colunista no site Eu sem fronteiras, além de ministrar palestras e  diferentes cursos na área da Educação Especial com ênfase no ensino de português aos surdos.

 

Márcia Aparecida Amador Mascia, Universidade São Fracisco - USF

Pós-Doutoramento pela Universidade de Wisconsin-Madison, no departamento de ?Curriculum and Instruction?, com bolsa FAPESP (2015). Sou Doutora em Linguística Aplicada pela UNICAMP (1999) e Doutorado-Sanduíche pela Universidade de Wisconsin-Madison (1998).  Mestre em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP (1992) e Graduada em Letras pela UNESP (1979). Atualmente,  professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, atuando na linha de Práticas Discursivas, Processos Sociais e Educativos, da Universidade São Francisco 

Downloads

Publicado

2017-08-31

Como Citar

Garé, R. M. R., & Mascia, M. A. A. (2017). Marcas da colonização da língua oral na educação dos surdos no Brasil: uma questão de preconceito?. Horizontes, 35(2), 69–78. https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i2.477

Edição

Seção

Artigos