Os gêneros orais na penúltima versão da Base Nacional Comum Curricular: implicações para o ensino

Ana Elisa Jacob, Kátia Diolina, Luzia Bueno

Resumo


Este artigo objetiva discutir os conteúdos configurados na penúltima versão da Base Nacional Comum Curricular de 2017, particularmente, aqueles referentes ao trabalho proposto com os gêneros orais no ensino de Língua Portuguesa nos anos finais do Ensino Fundamental. Para tanto, assumimos o quadro teórico-metodológico do Interacionismo Sociodiscursivo e da Didática das Línguas Genebrina, bem como os referenciais da Clínica da Atividade sobre a atividade de trabalho, os estudos do grupo ERGAPE sobre o trabalho docente e a perspectiva freireana do currículo como instrumento de ação política e pedagógica. Os resultados apontam para a falta da participação do professor atuante na elaboração da mesma, bem como para a ausência de diretrizes que privilegiem o diálogo, a criticidade, a interação social do aluno por meio do ensino dos gêneros orais. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.585

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia