“Para quem vai trabalhar na feira... essa educação está boa demais”: a política educacional na sustentação da divisão de classes

Autores

  • Selma Borghi Venco Unicamp
  • Reginaldo Fernando Carneiro Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.660

Resumo

O artigo tem como escopo debater a política educacional brasileira contextualizada em sua história recente e, focalizando, mais especificamente as formas de padronização da educação, particularmente a Base Nacional Curricular Comum (BNCC). A hipótese que orientou o estudo, de caráter documental, centra-se na perspectiva que o projeto neoliberal persegue as demandas internacionais voltadas à lógica da mensuração de resultados e padronização mundial da educação, sendo a BNCC ferramenta fulcral nessa edificação. Constata-se que nessa perspectiva o Brasil opta, seguindo sua tradição, por uma educação submissa aos países centrais e permanece se inscrevendo subalternamente na divisão internacional do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

Venco, S. B., & Carneiro, R. F. (2018). “Para quem vai trabalhar na feira. essa educação está boa demais”: a política educacional na sustentação da divisão de classes. Horizontes, 36(1), 7–15. https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.660