Relato de experiência com crianças surdas na escola pública: a importância estratégica da Língua de Sinais

Autores

  • Marcos Cezar de Freitas Universidade Federal de São Paulo
  • Nina Rosa Silva de Araujo Universidade Federal do Acre.

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.662

Resumo

Este artigo analisa fatores que contribuíram para uma bem sucedida transição da educação infantil para o ciclo I do ensino fundamental de uma escola pública, vivenciada por duas crianças surdas. Ambas foram alfabetizadas e aprovadas com resultados satisfatórios. Resultado de estudo etnográfico a análise feita se baseia nas contribuições de Thomas Csordas, Erving Goffman e Annemarie Mol para elucidar como a interação entre professoras e intérpretes da Língua Brasileira de Sinais possibilitou registrar cenas nas quais uma dinâmica inclusiva se estabeleceu. O registro de cenas permitiu coletar interações face a face e uma pedagogia inclusiva foi levada a efeito com estratégias que mostraram a relevância da LIBRAS e a presença singular de um professor surdo no processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Cezar de Freitas, Universidade Federal de São Paulo

Professor Associado do Departamento de Educação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo.

Coordenador do Laboratório de Antropologia Educacional, LAEVI, do Campus Guarulhos da Unifesp.

Nina Rosa Silva de Araujo, Universidade Federal do Acre.

Professora  do Centro de Educação, Letras e Artes, da Universidade Federal do Acre.

Pesquisadora do Laboratório de Antropologia Educacional, LAEVI, da Unifesp, campus Guarulhos.

Downloads

Publicado

2019-03-15

Como Citar

Freitas, M. C. de, & Araujo, N. R. S. de. (2019). Relato de experiência com crianças surdas na escola pública: a importância estratégica da Língua de Sinais. Horizontes, 37, e019016. https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.662

Edição

Seção

Relato de Experiência