Nós, os de lá, estamos cá: reflexões sobre a educação escolar quilombola no contexto dos impedimentos à co-presença

Evanilson Tavares de França, Jackeline Rodrigues Mendes

Resumo


A educação sempre compôs a pauta de luta dos movimentos negros no Brasil. Ainda assim, a LDB 9394/96 fez-se muda em relação à educação das comunidades quilombolas, lacuna somente preenchida, após 16 anos, por via da Resolução CNE/CEB n.º 08/2012. Não obstante, as pesquisas desenvolvidas em quilombos revelam a ausência de diálogo entre as práticas culturais das escolas neles localizadas e a contextura sociocultural. À vista disso, o presente artigo objetiva pensar as razões que subjazem e fundamentam as práticas curriculares excludentes (invisibilizadoras) naqueles territórios. Para tanto, dialogaremos com Fanon, Santos e outros. Esperamos que as discussões aqui implementadas possam contribuir para a ressignificação dos pensares e fazeres e para a construção de um currículo intercultural.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.669

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia