As contribuições do lúdico no processo de desenvolvimento das crianças com Síndrome de Down na educação infantil

Autores

  • Rosana Carla Cintra Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
  • Elaine Cristina Veiga Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS
  • Allyne Nunes Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.73

Palavras-chave:

Educação inclusiva, síndrome de Down, Educação infantil

Resumo

Resumo
O presente estudo tem por objetivo analisar os subsídios da ludicidade no processo de ensino e aprendizagem de crianças com Síndrome de Down, com enfoque principal nas contribuições da dança. Uma das melhores formas de estimulação para as crianças com síndrome de Down é através das atividades e brincadeiras lúdicas que envolvam as diversas linguagens artísticas como a dança, a música, o teatro e o movimento. A inclusão na rede de ensino é um direito da pessoa com deficiência, sendo assegurado por meio da Lei nº 7.853/89, que decreta a obrigatoriedade do fornecimento de vagas na rede regular de ensino para crianças deficientes. Para tanto adotamos a abordagem qualitativa com levantamento bibliográfico, utilizando como base teórica os autores Vygotsky (2001), Silva (2005), Coutinho (2001) e o Referencial Curricular para a Educação Infantil (1998), tendo como viés teórico-metodológico a perspectiva histórico-cultural. A partir da pesquisa realizada concluímos que a inclusão e o desenvolvimento de crianças com síndrome de Down é de suma importância em ambientes lúdicos, sendo possível trabalhar atividades que estimule seu desenvolvimento de forma prazerosa, sem ser
cansativo para a mesma e ao mesmo tempo estimulando sua autonomia.
Palavras-chave: educação inclusiva; Síndrome de Down; educação infantil.

The contributions of ludic in development of children with down syndrome in early childhood education

Abstract
This study aims to analyze the playfulness of subsidies in the teaching and learning of children with Down syndrome, with main focus on dance contributions. One of the best forms of stimulation for children with Down syndrome is through the activities and playful banter involving the variety of artistic expressions such as dance, music, theater and movement. The inclusion in the school system is a right of people with disabilities, being carried out by way of Law No. 7,853 / 89 decrees the mandatory supply of vacancies in mainstream education for disabled children. For both, we chose a qualitative research with literature, using as theoretical basis the authors Vygotsky (2001), Silva (2005), Coutinho (2001) and the Curriculum Reference for Early Childhood Education (1998), with the theoretical and methodological bias in cultural-historical perspective. The survey led us to conclude that the inclusion and the development of children with Down syndrome is of paramount importance in recreational environments, and can work activities that stimulate their development in a pleasant way, without being tiring for the same and at the same time stimulating their autonomy.
Keywords: inclusive education; Down's Syndrome; early childhood education.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosana Carla Cintra, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Atualmente é Professora Associada 3 do Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMS. Professora de graduação e pesquisadora-orientadora do Mestrado em Educação (PPGEdu) do CCHS, em Campo Grande, na Linha de Pesquisa Educação, Psicologia e Prática Docente. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial e Múltiplas Linguagens GEPEMULT, cadastrado no CNPq, e também, coordenadora do Projeto de Extensão Unika Dança UFMS Escola de Formação de Bailarinos e Cia de Dança , atua como diretora, coreógrafa e professora desde 2005. Coordenou a Especialização em Educação infantil no campus de Coxim CEEI/UFMS/MEC e a Turma 1 do Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil CEEI/UFMS/MEC, de Campo Grande.

Elaine Cristina Veiga, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Graduanda em Pedagogia - Licenciatura pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial e Múltiplas Linguagens - GEPEMULT. Bolsista de Iniciação Científica do CNPq 2014-2015.

Allyne Nunes Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS

Graduanda em Pedagogia - Licenciatura pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial e Múltiplas Linguagens - GEPEMULT. Bolsista de Iniciação Científica do CNPq 2014-2015.

Referências

ANHÃO, P. P. G. O processor de interação social na inclusão escolar de crianças com Síndrome de Down em educação infantil. 2009. 88p. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Saúde na Comunidade, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Por amor e por força: rotinas da educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

BROUGÈRE, G. A criança e a cultura lúdica. Rev. Fac. Educ. vol.24 n. 2 São Paulo July/Dec. 1998.

CINTRA, Rosana Carla Gonçalves Gomes. Educação Especial X Dança: um diálogo possível. Campo Grande MS. Editora UFMS. 1999.

CINTRA, R.C.G. G; PELICIONE, D. A dança e o lúdico: atividades da criança no processo ensino/ aprendizagem. In: Tempos e contratempos no espaço da educação infantil. Campo Grande MS. 2009. Editora UFMS.

CEBALOS, N. M; MAZARO, R. A; ZANIN, M. A importância do lúdico para crianças com Síndrome de Down. Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd168/universo-ludico-para-criancas-com-sindrome-de-down.htm> Acesso em: 31 jul de 2014.

COUTINHO, Ângela Maria Scalabrin . Infância e diversidade: as culturas infantis. In: 24a Reunião Anual de Pós-graduação e Pesquisa em Educação, 2001, Caxambu -MG. Anais da 24ª Reunião anual da ANPED. Petrópolis : Vozes, 2001. p. 1-9.

DANIELS, Harry (org). Uma introdução a Vygotsky. São Paulo: Loyola, 2001.

LIMA, Luciana Jardim de; BOSQUE, Ronédia Monteiro. A contribuição da dança para o desenvolvimento integral dos alunos do grupo de dança da APAE-AP. Disponível em: <http://www.rexlab.ufsc.br:8080/more/formulario10>. Acesso em: 02 maio 2013

MORANDI, C. A Dança e a Educação do cidadão sensível. In: STRAZZACAPPA, M. Entre a arte e a docência: A formação do artista da dança. Campinas: Papirus, 2006.

ORNELAS, M. A; SOUSA, C. A contribuição do profissional de educação física na estimulação essencial em crianças com Síndrome de Down. Revista da Educação Física. Maringá, v. 12, n. 1, 2001. Disponível em: <http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3779-10611-1.pdf> Acesso em: 27 jul de 2014.

SILVA, K. S. de B. P. da. O papel das interações no processo de inclusão de crianças com Síndrome de Down. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal.

VYGOTSKY, L. S. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Downloads

Publicado

2015-12-20

Como Citar

Cintra, R. C., Veiga, E. C., & Oliveira, A. N. (2015). As contribuições do lúdico no processo de desenvolvimento das crianças com Síndrome de Down na educação infantil. Horizontes, 33(2). https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.73