Territórios de povos e comunidades tradicionais: estado de exceção, governo bio/necropolítico e retomadas de tekoha

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.769

Resumo

No Brasil contemporâneo existe uma geopolítica da despossessão em curso na territorialização do agronegócio de que as maiores vítimas são as populações tradicionais que ocupa(va)m seus territórios originais. As ações do Estado brasileiro e do capital têm por objetivo o desmonte, o retrocesso e a retirada dos direitos territoriais indígenas. É fundamental entender a estratégia adotada pelos povos originários para a conquista e/ou manutenção dos seus direitos territoriais. Analisamos neste texto a luta dos Guarani e Kaiowá pelo reconhecimento dos tekoha, no cone sul do Mato Grosso do Sul. Estes povos indígenas têm um projeto de autonomia na luta pela reterritorialização para o retorno ao teko porã (o bem viver) em práticas de retomadas: acampamentos, ocupações e autodemarcações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Mondardo, UFGD

Doutor em Geografia. Pós-doutorando em Geografia pela UFF.

Downloads

Publicado

2019-06-20

Como Citar

Mondardo, M. (2019). Territórios de povos e comunidades tradicionais: estado de exceção, governo bio/necropolítico e retomadas de tekoha. Horizontes, 37, e019026. https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.769

Edição

Seção

Seção Temática: Leituras e leitores de Foucault: diálogos com a Educação