Experiências associativas de docentes e trabalhadores no Recife: 1872-1915

  • Yan Soares Santos Universidade Federal de Pernambuco/ Doutorando em Educação https://orcid.org/0000-0001-8304-7776
  • Adriana Maria Paulo da Silva Universidade de Pernambuco/ Professora Associada do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino (DMTE/CE); Professora do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/CE). https://orcid.org/0000-0002-7702-9501

Resumo

Objetivamos analisar as práticas de educabilidade voltadas às ações de educação para o trabalho, durante a segunda metade do século XIX, no Recife. Privilegiamos os registros produzidos pelos Presidentes da Província / Governadores do Estado, pelos Inspetores Gerais da Instrução Pública e os estatutos e relatórios produzidos pelas associações de trabalhadores e docentes. Analisamos as redes de relações, identificações, escolhas e experiências (THOMPSON, 1987) específicas, individuais e/ou coletivas, desses sujeitos, enquanto estratégias (DE CERTEAU, 1998) de atuação sociopolítica. Concluímos que as ações de educação para o trabalho por eles vivenciadas configuraram-se numa prática sociopolítica de seu “fazer-se” e de fortalecimento de seus ofícios específicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yan Soares Santos, Universidade Federal de Pernambuco/ Doutorando em Educação
Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade de Pernambuco (2011). Mestre pelo programa de Pós-graduação do departamento de Educação da Universidade Federal de Pernambuco (2014). Atualmente Doutorando pelo programa de Pós-graduação do departamento de Educação da Universidade Federal de Pernambuco (2016). Desde 2010 atuando em pesquisas sobre ensino profissional, associativismo operário e associativismo docente, no século XIX e início dos XX. Com foco na relação entre, as associações de ofício e a instrução dos trabalhadores. Articula-se as áreas de História Social da Educação, História Social do Trabalho, História do Ensino Profissional.
Adriana Maria Paulo da Silva, Universidade de Pernambuco/ Professora Associada do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino (DMTE/CE); Professora do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/CE).
Graduada (licenciatura e bacharelado) em História pela Universidade Federal Fluminense (1994), Mestra em Educação pela Universidade Federal Fluminense (1999) e Doutora em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2006). Atualmente é professora Associada da Universidade Federal de Pernambuco, lotada no Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino e professora do Programa de Pós-graduação em Educação. É coordenadora do Mestrado profissional em ensino de História da UFPE (PROFHISTÓRIA/UFPE). É líder do Grupo de Pesquisa "História da educação e das práticas de educabilidade no mundo ibero-americano". É coordenadora do GT 02 (História da Educação) da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd)

Referências

AZEVEDO, E.; CANO, J; CUNHA, M.; CHALHOUB, S. Trabalhadores na cidade: cotidiano e cultura no Rio de Janeiro e em São Paulo. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2009.

BATALHA, C. O movimento operário na Primeira República. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.

CARONE, E. O movimento operário no Brasil (1877-1944). São Paulo/Rio de Janeiro: DIFEL/Difusão Editorial, 1979.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. 17ªed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

DECCA, M. A vida fora das fábricas: cotidiano operário em São Paulo 1920-1934. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1987.

EISENBERG, Peter. Modernização sem mudança: a indústria açucareira em Pernambuco: 1840-1910. São Paulo: Paz e Terra, 1977.

HARDMAN, F. Nem pátria, nem patrão!: memória operária, cultura e literatura no Brasil. 3ª ed. rev. e ampl. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

LIMA, D.; & SANTOS, Y. Práticas docentes no Recife e Olinda na segunda metade do século XIX. CLIO: Revista de Pesquisa Histórica, Recife, n°. 34.2, pp: 60-85, 2016.

MAC CORD, M. Artífices da cidadania: mutualismo, educação e trabalho no Recife oitocentista. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2012.

MAC CORD, M.; BATALHA, C. Organizar e proteger: trabalhadores, associações e mutualismo no Brasil (séculos XIX e XX). Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2014.

PINHEIRO, P.; HALL, M. A classe operária no Brasil. Vol 1. São Paulo: Alfa-ômega, 1979.

SANTOS, Y.; OLIVEIRA, R. As ações dos trabalhadores no campo da qualificação profissional em Recife (1889-1930). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 52, pp. 75-89, set, 2013.

SANTOS, Y. A sociedade propagadora da instrução pública e suas ações de qualificação profissional em Recife (1872-1903). Recife: UFPE, 2014. (Dissertação de Mestrado em Educação).

SANTOS, Y.; LIMA, D.; SILVA, A. Imprensa e docência em Pernambuco, 1883-1884. In. OLIVEIRA, Carla Mary S. NUNES, Maria Lúcia Silva (orgs.). Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação. João Pessoa: SBHE, 15 a 18 de agosto, 2017.

SILVA, A. Processos de construção das práticas de escolarização em Pernambuco, em fins do século XVIII e primeira metade do século XIX. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2007.

SILVA, Severino Vicente da. Anotações para uma visão de Pernambuco no início do século XX. Recife: Editora da UFPE, 2014.

THOMPSON, E. A formação da classe operária V.1. A árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Publicado
2021-04-24
Como Citar
Santos, Y. S., & Silva, A. M. P. da. (2021). Experiências associativas de docentes e trabalhadores no Recife: 1872-1915. Horizontes, 39(1), e021011. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.828