O brincar, o brinquedo e a brinquedoteca: Um balanço acerca da presença/ausência da concepção infância/criança na produção acadêmica

Autores

  • Tatiani Rabelo Lapa Santo
  • Claudia Panizzolo

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v31i2.9

Resumo

Este trabalho, ao tratar da pesquisa com crianças, procura definir a concepção de infância e de criança e situá-las historicamente a partir das conquistas advindas da legislação e da produção acadêmica, visando compreender a produção de cultura pelas crianças e a importância de teorias e metodologias que possibilitem sua investigação a partir da Imprensa Periódica Educacional. Para tal, foram selecionadas três revistas: Cadernos de Pesquisa, Educação & Sociedade e Perspectiva e realizado um levantamento seguido de revisão bibliográfica com os
artigos publicados entre 1991 e 2009. Os resultados da investigação apontam para a valorização das crianças, vistas como sujeitos de direitos. Em todos os trabalhos analisados constata-se a ênfase dada pelos autores da necessidade de considerar a criança como um ser capaz de falar em seu próprio direito.
Palavras-chave: Criança; Infância; Imprensa Periódica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiani Rabelo Lapa Santo

Professora da Rede Municipal de Ensino do Município de Uberlândia-MG. Mestranda em Educação pela Faculdade de Educação na Universidade Federal de Uberlândia-MG.

Claudia Panizzolo

Professora Adjunta da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP.  Coordenadora do Grupo de Pesquisa: Infância, Cultura e História – GEPICH, pesquisadora nas linhas História social e cultural da infância e da adolescência, e Infância e educação infantil: políticas, práticas e instituições.

Downloads

Publicado

2013-12-30

Como Citar

Santo, T. R. L., & Panizzolo, C. (2013). O brincar, o brinquedo e a brinquedoteca: Um balanço acerca da presença/ausência da concepção infância/criança na produção acadêmica. Horizontes, 31(2). https://doi.org/10.24933/horizontes.v31i2.9