Docência na educação de mulheres jovens, adultas e idosas no cárcere

Resumo

 

 

Neste artigo apresenta-se o recorte de uma pesquisa qualitativa, concluída em 2017, sobre a educação de mulheres jovens, adultas e idosas em um Centro de Reeducação Feminino, na cidade de Belém do Pará. O objetivo é analisar a educação no cárcere, com o foco para a docência e as questões feministas. Consiste em um estudo de caso. As participantes são: duas coordenadoras pedagógicas, duas professoras e três egressas do Centro de Reeducação (CRF). Os procedimentos foram o levantamento bibliográfico e documental, a pesquisa exploratória e entrevistas semiestruturadas. A sistematização e análise foram realizadas por meio de categorizações temáticas. Entre os resultados aponta-se que na docência no cárcere feminino é necessário desenvolver uma prática docente dialógica e crítica.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivanilde Apoluceno de Oliveira, UEPA
Pós-doutora em Educação pela PUC-RJ. Doutora em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP e UNAM-UAM-Iztapalapa- México. Docente e pesquisadora do PPGED e Coordenadora do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire da Universidade do Estado do Pará. Brasil. E-mail: nildeapoluceno@uol.com.br http://orcid.org/0000-0002-3458-584X
Suzianne Silva de Oliveira, UEPA

Mestra em Educação pela Universidade do Estado do Pará – Brasil, em 2017. E-mail: suzianneoliveira@yahoo.com.br  https://orcid.org/0000-0003-2764-0713

Referências

AILANDA, Jéssica. A Situação das Mulheres no Cárcere. JUSBRASIL. 2017. Disponível em:https://jessicaailanda.jusbrasil.com.br/artigos/607724070/a-situacao-das-mulheres-no-carcere. Acesso em 05/01/2020.

BARDIN, Laurence. Análise do Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BRASIL. Documento Nacional Preparatório à VI Conferência Internacional de Educação de Adultos (VI CONFINTEA) / Ministério da Educação (MEC). – Brasília: MEC; Goiânia: FUNAPE/UFG, 2009.

____ Resolução Nº 3, de 11 de março de 2009. Diretrizes Nacionais para a oferta da educação no sistema prisional. Brasília: Ministério da Justiça, 2009. Disponível em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/?id=111461. Acesso em 03/01/2020.

_____ Educando para a liberdade: trajetória, debates e proposições de um projeto para a educação nas prisões brasileiras. Brasília: UNESCO, MEC, MJ, 2006.

COLARES, Leni Beatriz Correia; CHIES, Luiz Antônio Bogo. Mulheres nas so(m)bras: invisibilidade, reciclagem e dominação viril em presídios masculinamente mistos. Florianópolis, 2010.

CONFINTEA. Declaração de Hamburgo sobre Educação de Adultos. V Conferência Internacional sobre Educação de Adultos - V CONFINTEA. Hamburgo, Alemanha, julho de 1997. Disponível em: http://forumeja.org.br/pi/sites/forumeja.org.br.pi/files/V%20Confintea%20Hamburgo%201997.pdf. Acesso em 03.01/2020

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª ed. São Paulo/SP: Centauro, 2005.

______Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

______Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. 2e. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993a.

____ Professora sim tia não: cartas a quem ousa ensinar. 2e. São Paulo: Olho D´Água, 1993b

____Pedagogia do oprimido. 11ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, Prisões e Conventos. São Paulo: Perspectiva, 1961.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. A Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2ed. São Paulo: E.P.U., 1986.

MARCONDES, Maria Inês; OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno; TEIXEIRA, Elizabeth (Orgs.) Abordagens teóricas e construções metodológicas na pesquisa em educação. Belém: EDUEPA, 2011.

MENDES, Soraia da Rosa. Criminologia feminista: novos paradigmas. São Paulo: Saraiva, 2014.

OLIVEIRA, Suzianne Silva de. Educação no Cárcere: Processo de Reinserção Social de Mulheres. Dissertação de Mestrado. 264 Págs. Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Pará. Belém-Pará: PPGED-UEPA, 2017.

PARÁ. Revista Além dos Muros. Ano 05/Nº 09/Dezembro de 2015. Belém-Pará: Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (SUCIPE), 2015.

PEREIRA, Antônio. A educação-pedagogia no cárcere, no contexto da pedagogia social: definições conceituais e epistemológicas. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 10, p.38-55, jan./dez. 2011.

VASQUEZ, Eliane Leal. Sociedade cativa entre cultura escolar e cultura prisional: uma incursão pela ciência penitenciária. (Dissertação de Mestrado em História da Ciência). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo - SP, 2008.

Sites

Politize. Disponível em https://www.politize.com.br/populacao-carceraria-brasileira-perfil/. Acesso em 05/01/2020.

Agência Brasil. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas noticias/2017/08/26/populacao-carceraria-feminina-cresce-700-em-dezesseis-anos-no brasil.htm. Acesso em 05/01/2020

Publicado
2020-12-30
Como Citar
Oliveira, I. A. de, & Oliveira, S. S. de. (2020). Docência na educação de mulheres jovens, adultas e idosas no cárcere. Horizontes, 38(1), e020060. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.917
Seção
Seção temática: Formação, docência e práticas na educação de pessoas adultas