Leitura e escrita na escola: significados e sentidos atribuídos pelas crianças

Resumo

Este artigo apresenta um recorte de uma pesquisa, que teve como base os estudos de Vigotski. O objeto de estudo foi o processo de alfabetização e as dinâmicas em sala de aula para o entendimento das necessidades e das funções da leitura e da escrita de alunos do 3º ano do Ensino Fundamental. O objetivo foi investigar quais significações são produzidas pelos alunos para as atividades de leitura e de escrita, propostas pela professora. O material empírico foi produzido por videogravação das observações em sala de aula, acompanhadas por registros em diário de campo; por conversas com as crianças e desenhos produzidos por elas. Os discursos das crianças valorizaram e reconheceram os contextos de usos da leitura e da escrita, aproximando as práticas escolares das práticas sociais cotidianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Débora da Silva Furlaneti, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC) na linha de pesquisa: Formação de Professores e Práticas Pedagógicas. Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL. Desenvolveu trabalho voluntário como Pedagoga junto ao Centro de Pesquisa e Atendimento Odontológico Social - CEPAE (Área de Psicologia Aplicada - Departamento de Psicologia Social) da Faculdade de Odontologia de Piracicaba -UNICAMP realizando práticas pedagógicas e educacionais junto a Equipe Interdisciplinar durante o ano de 2016.Tem experiência em educação infantil e alfabetização nas séries iniciais.  
Elvira Cristina Martins Tassoni, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da PUC-Campinas, membro do Grupo de Pesquisa Formação e Trabalho Docente. Realiza pesquisa no campo da formação de professores e práticas pedagógicas, especialmente em relação à alfabetização e o desenvolvimento da linguagem escrita.

Referências

ALMEIDA, A. C.; CORRÊA, H. T. Memórias na sala de aula: análise de uma prática pedagógica na perspectiva do letramento literário. Linhas, Florianópolis, v. 18, p. 108-130, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1984723818372017108

AMARAL, S. F.; LIMA, M. C.; NASCIMENTO, A. L. R. Práticas de leitura no 1º ciclo do ensino fundamental: um estudo de caso. Linha Mestra, Campinas, n. 30, p. 11-15, set./dez. 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRITTO, L. P. L. O engodo subjetivista e a formação do leitor. Nuances: estudos sobre educação, São Paulo, v. 28, p. 8-23, 2017. DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v28i2.5093

CARDOSO, C. J.; AMÂNCIO, L. N. B. Cartilha Caminho Suave: aspectos da constituição, trajetória e permanência na alfabetização brasileira. Revista Brasileira de Alfabetização, Vitória, v. 1, n. 7, p. 33-60, jan./jun. 2018.

COELHO, I. T.; MAZZEU, F. J. C. Notas introdutórias para um método histórico-crítico de alfabetização. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, p. 2576-2593, 2016.

FRADE, I. C. A. S.; GALVÃO, A. M. O. Instrumentos e suportes de escrita no processo de escolarização: entre os usos prescritos e os não convencionais (Minas Gerais, primeira metade do século XX). Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, v. 16, n. 1 (40), p. 297-334, jan./abr. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/rbhe.v16i1.775.3

GOULART, I. C. V. A representação da leitura entre versos e palavras. Linha Mestra, Campinas, v. 10, p. 470-475, 2016.

GUARDA, M. L. S.; PEREIRA, M. R. A. Ensino de leitura: uma proposta para o desenvolvimento da habilidade de inferir. Letras & Letras, Uberlândia, v. 32, n. 2, p. 231-257, jul./dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.14393/LL63-v32n2a2016-12

LACERDA, M. P. Cachimônia: pela alfabetização lenta. Linhas, Florianópolis, v. 18, p. 347-376, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1984723818362017347

LIMA, F. R.; CARVALHO, M. A. F. Olhares subjetivos para a alfabetização. Pensares em Revista, São Gonçalo, v. 1, p. 31-46, 2017. DOI: https://doi.org/10.12957/pr.2017.33434

LOVATO, R. G.; MACIEL, F. I. P. Leitura deleite como espaço de incentivo à leitura e construção do conhecimento. Revista Brasileira de Alfabetização, Vitória, v. 1, p. 74-89, 2016.

MACEDO, M. do S. A. N.; CHAGAS, V. I. Alfabetização no contexto da escola integrada: uma perspectiva etnográfica. Revista Brasileira de Alfabetização, Vitória, v. 1, p. 209-226, 2016.

MELLO, S. A. O lugar da criança na pesquisa sobre a infância: alguns posicionamentos na perspectiva histórico-cultural. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 18, n. 2, p.183-197, jul./dez. 2010.

MORTATTI, M. R. L. Os órfãos do construtivismo. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 11, n. esp. 4, p. 2267-2286, 2016. DOI: https://dx.doi.org/10.21723/riaee.v11.esp4.9193

NUNES, M. F. Literatura infantil: mediar práticas de leitura envolvendo a cultura escrita a letrada. Textura, Canoas, v. 19, p. 73-92, 2017.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. 5. ed. São Paulo: Scipione, 2010. (Coleção Pensamento e ação na sala de aula).

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky e o processo de formação de conceitos. In: LA TAILLE, Y.; DANTAS, H. (orgs.). Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas e discussão. São Paulo: Summus, 1992. p.32-32.

PENA, S. C. Avaliação diagnóstica da alfabetização: a experiência dos alunos de pedagogia/ PARFOR da UFPA. In: Fórum Internacional de Pedagogia FIPED, 8, 2016, Imperatriz. Anais eletrônicos [...]. Imperatriz: Universidade Federal do Maranhão, 2016. Disponível em: https://editorarealize.com.br/revistas/fiped/trabalhos/TRABALHO_EV057_MD1_SA36_ID938_06092016084138.pdf. Acesso em: 10 jan. 2010.

ROSSETI-FERREIRA, M. C. et al. Rede de significações e o estudo do desenvolvimento humano. In: BARBOSA, M. C. S. (org.). Compromisso com a complexidade. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 131-134.

SMOLKA, A. L. B. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. 12. ed. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2008. (Coleção Passando a limpo).

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 25, p. 5-17, jan./ abr. 2004.

SOARES, M. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 17. ed. 2. impr. São Paulo: Ática, 2000. (Série Fundamentos).

SOARES, M. Concepções de linguagem e o ensino da Língua Portuguesa. In: BASTOS, N. B. (org.). Língua Portuguesa: história, perspectiva, ensino. São Paulo: EDUC, 1998. p. 53-60.

SOUZA, T. F. M.; AMÂNCIO, L. N. B. História da alfabetização, um percurso possível: pesquisa, fontes e sujeitos da memória. Revista Brasileira de Alfabetização, Vitória, v. 1, n.3, p. 93-118, jan./jul. 2016.

THIES, V. G.; PERES, E. T.; MONKS, J. C. Títulos de livros para o ensino da leitura e da escrita como projeto enunciativo (1950-2006). Educação, Santa Maria, v. 41, p. 657-670, 2016.

VELOSO, G. M.; SANTOS, F. A. dos. Leitura compartilhada de textos literários na alfabetização de crianças de 6 anos. Revista Brasileira de Alfabetização – ABAlf, Vitória, v. 1, n. 4, p. 69-88, jul. /dez. 2016.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução José Cipiolla Neto e Solange Castro Afeche. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Publicado
2020-12-28
Como Citar
Furlaneti, D. da S., & Tassoni, E. C. M. (2020). Leitura e escrita na escola: significados e sentidos atribuídos pelas crianças. Horizontes, 38(1), e020054. https://doi.org/10.24933/horizontes.v38i1.1006