Letramento na educação infantil: o que as professoras pensam (sabem)?

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar o que as professoras de educação infantil compreendem a respeito do letramento. Parte-se do princípio de que a educação infantil possui uma especificidade pedagógica própria e que o letramento envolve práticas sociais de leitura e escrita. A pesquisa foi realizada em uma instituição de educação infantil e teve como participantes as professoras que atuavam com crianças de quatro e cinco anos. Foram utilizados: questionários; observação e análise documental. As informações foram analisadas na perspectiva qualitativa e permitiram o entendimento que: prevaleceu a função socializadora da educação infantil; e, as professoras confundem os conceitos de letramento e alfabetização, não esclarecem as diferenças e relações entre os processos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Santos Arruda, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal
Doutora em Educação (2014) - Universidade de Brasília (UnB), com Mestrado em Educação (2007) - UnB e graduação em Pedagogia (2003) - UnB. Atualmente está na formação continuada de professores da educação infantil, na Subsecretaria de Formação Continuada dos Profissionais da Educação/Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. Tem experiência como professora de educação básica e do ensino superior, com atuação nos seguintes temas: educação infantil, ensino fundamental anos iniciais- alfabetização e letramento, ensino superior, currículo, criatividade no trabalho pedagógico e organização do trabalho pedagógico.

Referências

ALBUQUERQUE, E. B. C. de; LEITE, T. M. R. Explorando as letras na Educação Infantil. In: BRANDAO, Ana Carolina Perrusi; ROSA, Ester Calland de Sousa. (Org.). Ler e Escrever na Educação Infantil: discutindo praticas pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018, p. 93-115.

BARRETO, A. M. R. F. Educação Infantil: crenças sobre as relações entre práticas pedagógicas específicas e desenvolvimento da criança. 2004. 308f. Tese (Doutorado em Psicologia)- Universidade de Brasília, Brasília, 2004.

BARROS, M. T., de A.; SPINILLO, A. G. Contribuição da educação infantil para o letramento: um estudo a partir do conhecimento de crianças sobre textos. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2011, vol. 24, n. 3, p.542-550.

BERBERIAN, A. P. et al. Análise do conhecimento de professores atuantes no ensino fundamental acerca da linguagem escrita na perspectiva do letramento. Rev. CEFAC [online]. 2013, vol.15, n.6, p.1635-1642.

BRANDÃO, A. C. P; LEAL, T. F. Alfabetizar e letrar na Educação infantil: o que isso significa? In: BRANDAO, Ana Carolina Perrusi; ROSA, Ester Calland de Sousa. (Org.). Ler e Escrever na Educação infantil: discutindo práticas pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2018, p. 13-31.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 23 dezembro de 1996. Institui a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF,. Seção 1, p. 27-833.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 26 jun 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Resolução CNE/CP 1/2006. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. Diário Oficial da União, Brasília, 16/05/2006, Seção 1, p.11. Disponível em: www.mec.org.br. Acesso: 26/03/2020.

CORRÊA, M. T. de O. Avaliação e a Qualidade da Educação Infantil: uma análise dos processos avaliativos desenvolvidos na creche e na pré-escola. 2007. 248f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

GALVÃO, A. M. de O. Crianças e Cultura Escrita. In: BRASIL. Linguagem oral e linguagem escrita na educação infantil: práticas e interações / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. 1ed. - Brasília : MEC /SEB, 2016.

HADDAD, L. Substituir ou Compartilhar? O papel das instituições de educação infantil no contexto da sociedade contemporânea. In: MACHADO, M. L. A. (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2005, p. 91-96.

KRAMER, S. Direitos da Criança e Projeto Político-pedagógico da Educação Infantil. In: BAZÍLIO, Luiz Cavalieri, KRAMER, Sônia. Infância, Educação e Direitos Humanos. Campinas: Cortez, 2003.

KRAMER, S. Infância e Currículo: paradoxos, mudanças e riscos. In: MOREIRA, A. F. B., ALVES, M. P. C. e GARCIA, R. L. (orgs). Currículo, Cotidiano e Tecnologias. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2006, p. 197-214.

KUHLMANN Jr, M. Educação Infantil e Currículo. In: FARIA, A L. G. e PALHARES, M. S. e MARTINEZ, C. M. S. Educação Infantil Pós-LDB: rumos e desafios. Campinas, SP: Autores Associados - FE/UNICAMP, 2003, p.51-65.

LUDKE, M. e ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARCUSCHI, L. Oralidade e Letramento como Práticas Sociais. In: MARCUSCHI, L.; DIONISIO, A. P. Fala e escrita. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 31- 55.

MORAIS, A. G. Consciência Fonológica na Educação Infantil e no Ciclo de Alfabetização. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

OLIVEIRA, Z. M. R. Creches no Sistema de Ensino. In: MACHADO, M. L. A. (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2005, p.79-82.

OLIVEIRA, Z. M. R. Os Primeiros Passos da História da Educação Infantil no Brasil. In: OLIVEIRA, Z. M. R. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002.

ROCHA, E. A. C. Crianças e infâncias: uma categoria social em debate. In: III Congresso de Arte-educação. 2002. Blumenau. Anais, [...]. Blumenau. 2002.

ROSEMBERG, F. Do Embate para o Debate: educação e assistência no campo da educação infantil. In: MACHADO, M. L. A. (org.). Encontros e Desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2005, p.63-78.

SOARES, M. Alfabetização e Letramento. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

SOARES, M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Publicado
2021-03-02
Como Citar
Arruda, T. S. (2021). Letramento na educação infantil: o que as professoras pensam (sabem)?. Horizontes, 39(1), e021005. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.1017