A clínica da atividade no Brasil: por uma outra psicologia do trabalho

Autores

  • Cristiane Lisbôa da Conceição Universidade Federal Fluminense
  • Roberta Pereira Furtado da Rosa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro
  • Claudia Osorio da Silva Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i3.514

Resumo

Este artigo tem como proposta explorar um campo de coerência para a psicologia do trabalho no Brasil por meio de algumas pesquisas em clínica da atividade. Dentre as heranças que o compõem, destacam-se o campo da saúde do trabalhador e a análise institucional. Também outras referências como Oddone, Wisner e Canguilhem fazem parte desse campo, marcado por uma multirreferencialidade em que a pesquisa-intervenção se constitui na construção de métodos de análise a partir da situação de trabalho. Afirmamos uma psicologia do trabalho que valoriza a controvérsia como fonte de desenvolvimento de recursos de ofício.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Lisbôa da Conceição, Universidade Federal Fluminense

Psicóloga, especialista em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana pelo CESTEH/ENSP/Fiocruz e mestre em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense.

Roberta Pereira Furtado da Rosa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Docente do curso de Terapia Ocupacional no IFRJ. Doutoranda do programa de pós-graduação em Psicologia da UFF.

Downloads

Publicado

2017-12-29

Como Citar

Conceição, C. L. da, Rosa, R. P. F. da, & Osorio da Silva, C. (2017). A clínica da atividade no Brasil: por uma outra psicologia do trabalho. Horizontes, 35(3), 23–37. https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i3.514