A prosopopeia da base nacional comum curricular e a participação docente

Autores

  • Nathália Fernandes Egito Rocha
  • Maria Zuleide da Costa Pereira

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.575

Resumo

Este texto tem por objetivo refletir sobre o processo de elaboração do documento da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), ressaltando a participação docente do contexto da prática da Rede Municipal de Ensino de João Pessoa - PB. Entendendo que o currículo situa-se num campo de disputas, assim sendo, ele nunca é apenas um conjunto neutro de conhecimentos. Ele expressa uma historicidade, um contexto, uma tensão. Portanto, considerando que a política precisa ser analisada em relação ao contexto, realizamos uma investigação a partir do Ciclo de Políticas de Stephen Ball e colaboradores (1992). No contexto das escolas, através dos discursos docentes, observamos os conflitos e contestação existentes que nos possibilitaram compreender a maneira como a política é percebida e interpretada por esses atores (as). Nossa intenção foi realizar uma análise baseada diretamente na experiência dos professores. Objetivamos perceber como o contexto da prática da Rede Municipal de Ensino de João Pessoa - PB atuou nesse processo de elaboração da política curricular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

Rocha, N. F. E., & Pereira, M. Z. da C. (2018). A prosopopeia da base nacional comum curricular e a participação docente. Horizontes, 36(1), 49–63. https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.575