A voz feminina no poema de Adélia Prado: uma bandeira de luta

Autores

  • Iara Bottan Faculdade Anhanguera Educacional, unidade Piracicaba; Secretaria da Educação do Estado de São Paulo . https://orcid.org/0000-0002-5650-5011
  • Bruno Pucci Universidade Metodista de Piracicaba

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.775

Resumo

Este artigo se propõe a desenvolver uma interpretação crítica do poema de Adélia Prado, Com Licença Poética, em diálogo com o Poema de Sete Faces, de Drummond de Andrade, e com as reflexões estético-filosóficas de Theodor Adorno, particularmente em sua Palestra sobre Lírica e Sociedade. Entranhar-se na intimidade de seus versos na tentativa de compreender o anúncio do “anjo esbelto” à mulher do século XX, “vai carregar bandeira”, é seu desafio primeiro. Observar que a luta das mulheres pela emancipação, pela igualdade de direitos com os homens, se faz intensa e mais do que nunca necessária nos dias de hoje é outra constatação que o poema, como obra de arte viva, transmite, incentiva e indica. Sigamos seus encaminhamentos!

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Bottan, Faculdade Anhanguera Educacional, unidade Piracicaba; Secretaria da Educação do Estado de São Paulo .

 

Doutoranda em Educação na Universidade Metodista de Piracicaba - PPGE UNIMEP. 

Diretora de Escola na Secretaria da Educação do Estado do Estado de São Paulo.

Professora Universitária do curso de Pedagogia da Faculdade Anhanguera Educacional, unidade Piracicaba.

Downloads

Publicado

2019-12-28

Como Citar

Bottan, I., & Pucci, B. (2019). A voz feminina no poema de Adélia Prado: uma bandeira de luta. Horizontes, 37, e019050. https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.775