A voz feminina no poema de Adélia Prado: uma bandeira de luta

Iara Bottan, Bruno Pucci

Resumo


Este artigo se propõe a desenvolver uma interpretação crítica do poema de Adélia Prado, Com Licença Poética, em diálogo com o Poema de Sete Faces, de Drummond de Andrade, e com as reflexões estético-filosóficas de Theodor Adorno, particularmente em sua Palestra sobre Lírica e Sociedade. Entranhar-se na intimidade de seus versos na tentativa de compreender o anúncio do “anjo esbelto” à mulher do século XX, “vai carregar bandeira”, é seu desafio primeiro. Observar que a luta das mulheres pela emancipação, pela igualdade de direitos com os homens, se faz intensa e mais do que nunca necessária nos dias de hoje é outra constatação que o poema, como obra de arte viva, transmite, incentiva e indica. Sigamos seus encaminhamentos!


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v37i0.775

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia