Borboletas em lâmpadas: o coletivo escolar e a subjetivação dos educandos

Resumo

Este artigo visa problematizar os modos pelos quais as culturas contemporâneas vêm significando, por suas manifestações, a expressão da vida. Busca refletir sobre a sociedade e, por extensão, a escola e os modos de subjetivação em que se constituem os indivíduos/educandos, bem como identificar alguns dos fatores condicionantes que determinam a existência de modelos paradigmáticos dominantes em cada época. A análise transita por entre a tênue fissura que demarca a modernidade e a pós-modernidade. Assim, busca identificar seus possíveis fluxos e desdobramentos na sociedade líquida a que se reporta Bauman e a manifesta hegemonia do consumo anunciada na sociedade de consumo por Baudrillard.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cláudia Aparecida dos Santos, Universidade Federal de Santa Maria.
Doutoranda em Educação, linha LP4 Educação e Artes – PPGE/Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Arte, Educação e Cultura (GEPAEC) – UFSM, Mestre em Educação pela Universidade comunitária da região de Chapecó (UNOCHAPECO) 2015, graduada – bacharel, em desenho e plástica pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) 2010, graduada em Artes Visuais – licenciatura plena, pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), 2008. Atuei como professora de Artes Visuais na rede pública municipal nos municípios de Dom Feliciano (RS) de 2009 a 2011, e Chapecó 2011 a 2013.
Ireno Antônio Berticelli, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ)

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação (Mestrado em Educação) e docente no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde (Doutorado em Ciências da Saúde) da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ).

Referências

ALMEIDA, Felipe Quintão de; GOMES, Ivan Marcelo; BRACHT, Valter. Bauman & Educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Abril, 2005.

BAUDRILLARD, Jean. A arte da desaparição. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997.

BAUDRILLARD, Jean. O sistema dos objetos. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulações. Lisboa: Relógio D’água,1991.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

BERTICELLI, Ireno A. Educação em perspectiva epistêmicas pós-modernas. Chapecó: Argos, 2010.

BERTICELLI, Ireno Antônio. Epistemologia e educação: da complexidade, auto-organização e caos. Chapecó: Argos, 2006.

DIDEROT, Denis. O sonho de D’Alembert. In: Textos escolhidos. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1985. p. 93-121. (Col. Os Pensadores).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1977.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. Verdade e poder. In: MACHADO, Roberto (org.). Microfísica do poder 16. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2001. p.1-14.

GUATTARI, Félix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

KAFKA, Franz. O processo. São Paulo: Círculo do Livro, [19--?].

LIPOVETSKY, Gilles Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. 3. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988.

LYON, David. Pós modernidade. São Paulo: Paulus, 1998.

MOREY, Miguel. La cuestión del método. In: FOUCAULT, Michel. Tecnologías del yo y otros textos afines. Barcelona: Paidós Ibérica, 1991. p.9-44.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e mídia educativa brasileira: poder, saber e subjetivação. Chapecó: Argos, 2007.

PRIGOGINE, Ilya e STENGERS, Isabelle. A nova aliança: metamorfose da ciência. Brasília: Ed. da UNB, 1984.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Publicado
2021-02-25
Como Citar
Santos, C. A. dos, & Berticelli, I. A. (2021). Borboletas em lâmpadas: o coletivo escolar e a subjetivação dos educandos. Horizontes, 39(1), e021001. https://doi.org/10.24933/horizontes.v39i1.796