Confrontando a norma: modos de participação de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo na escola

Adriana Lia Friszman de Laplane

Resumo


A perspectiva histórico-cultural oferece ferramentas conceituais e analíticas para a compreensão das relações que se estabelecem entre os sujeitos que participam das dinâmicas sociais e institucionais. Tomando como pontos de partida as reflexões vigotskianas sobre o papel constitutivo da cultura e das relações sociais no desenvolvimento e na aprendizagem, o presente artigo explora o potencial dessas ferramentas para a análise das formas de participação de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo na escola e amplia a discussão para abordar a normatividade das instituições de saúde e de educação e para as práticas de patologização, comuns hoje no âmbito educacional.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i3.709

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Horizontes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Universidade São Francisco
CNSP-ASF | Casa de Nossa Senhora da Paz - Ação Social Franciscana

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia