Confrontando a norma: modos de participação de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo na escola

Autores

  • Adriana Lia Friszman de Laplane Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i3.709

Resumo

A perspectiva histórico-cultural oferece ferramentas conceituais e analíticas para a compreensão das relações que se estabelecem entre os sujeitos que participam das dinâmicas sociais e institucionais. Tomando como pontos de partida as reflexões vigotskianas sobre o papel constitutivo da cultura e das relações sociais no desenvolvimento e na aprendizagem, o presente artigo explora o potencial dessas ferramentas para a análise das formas de participação de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo na escola e amplia a discussão para abordar a normatividade das instituições de saúde e de educação e para as práticas de patologização, comuns hoje no âmbito educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Lia Friszman de Laplane, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Ciências Médicas. Departamento de Desenvolvimento Humano e Reabilitação.

Downloads

Publicado

2018-12-07

Como Citar

Friszman de Laplane, A. L. (2018). Confrontando a norma: modos de participação de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo na escola. Horizontes, 36(3), 111–120. https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i3.709